'Deste Coração brota uma fonte infinita de graças'

Disse Dom Ângelo Mezzari, na Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, na sexta-feira, 24,na Catedral, e missa com a participação de membros do Apostolado da Oração

Foto: Fernando Arthur/O SÃO PAULO

“Coração Santo, tu reinarás!”. Este foi o canto que os associados do Apostolado da Oração da Arquidiocese de São Paulo entoaram no começo da celebração da Missa do Sagrado Coração de Jesus, realizada no começo da tarde da sexta-feira, 24 na Catedral da Sé, presidida por Dom Ângelo Ademir Mezzari, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Ipiranga, e concelebrada pelos Padres Luiz Baronto, Cura da Catedral; Luiz Fernando, Armênio Nogueira e Arlindo Teles.

“Hoje na Igreja, por esta devoção e pela liturgia, queremos mais uma vez contemplar esse amoroso, compassivo e misericordioso coração”, ressaltou Dom Ângelo no início da homilia.

O Prelado também destacou que nesta solenidade, a Igreja se une ao amor e a misericórdia, a dor e o sofrimento de Jesus. “Cristo deu-nos sua vida para nos salvar, para a salvação dos pecadores, para a conversão e a mudança de vida” afirmou.

O CORAÇÃO DO BOM PASTOR

Dom Ângelo comentou que as leituras desta solenidade levam a contemplar a figura do Bom Pastor e do seu Sagrado Coração: “O Coração que vai ao encontro, que busca, que regenera, que salva e cuida, que procura quem perdeu, que sara quem está doente, que devolve a saúde a quem está enfermo, mas, sobretudo, que chama para o seu amor”.

O Bispo também destacou que uma das dimensões mais fundamentais do Coração de Jesus é “aquele olhar para a única ovelha que está desgarrada”, afirmando que este olhar é um grande apelo e convite à Igreja para ir ao encontro, também por meio da oração.

“Olhando este Coração de Bom Pastor do Pai e do Filho, hoje olhamos a Igreja que sempre deve ter, por meio de seus filhos e filhas, este mesmo coração de Bom Pastor, que vai em busca ao encontro e extravasa e manifesta este amor imenso e infinito que Deus tem por nós”, afirmou Dom Ângelo, dizendo, ainda, que a Igreja é um Coração de Jesus, que é cheio de compaixão e misericórdia.

CORAÇÃO DE GRAÇAS

Dom Ângelo exortou os fiéis a contemplarem as maravilhas, os sentidos, a profundidade e a intimidade do Coração de Jesus: “Deste coração brota uma fonte infinita de graças. Somos chamados a abrimos o nosso coração para recebermos estas graças”.

“Quantas graças este Coração derrama!”, ressaltou, exortando os fiéis a abrirem o coração e não desperdiçarem o amor de Deus que vem do Coração de Jesus.

O Prelado ainda recordou que a graça que brota do Coração de Jesus é a salvação: “Deus amou tanto, Jesus Cristo amou tanto, a Igreja deve amar tanto para chamar todos os pecadores à conversão, para seguirem e serem discípulos-missionários de Jesus Cristo”.

O Bispo ainda exortou os fiéis para que abram o coração para acolherem as graças dadas por Deus: “A Igreja é o sacramento destas graças e nela nos sentimos todos contemplados”.

A REPARAÇÃO AO CORAÇÃO DE JESUS

Dom Ângelo destacou ainda que é próprio do Apostolado e próprio da devoção ao Coração de Jesus, a reparação a este Sagrado Coração; recordando a segunda leitura, na qual o Apóstolo Paulo destaca que “a paixão e a morte de Cristo, reconcilia o mundo com Deus”.

“Naquele Coração amoroso, que derrama até última gota de sangue e morre para a nossa salvação para que todos sejam salvos, Jesus deu a vida por todos nós” destacou, complementando que os cristãos têm, por meio da oração e de outros aspectos da fé, a possibilidade de consolar o Coração de Jesus, pois “todo o mal, toda a violência, toda a morte e todo o pecado, tudo aquilo que fere a vida humana, fere o Coração de Deus”.

Por fim, o Prelado destacou que os fiéis, por meio da vivência profunda da fé, contribuem para reparar as consequências do pecado. “Vivendo dignamente nossa fé, podemos reparar esse Coração. Assim, vamos rezar para que os pecadores se convertam, eis o sentido tão bonito da nossa oração e do nosso Apostolado: rezar pela conversão dos pecadores.”, ressaltou.

“Vamos pedir hoje esta grande graça de continuar rezando para que o Coração de Jesus seja consolado pela nossa vida de fé e pelo nosso serviço de evangelização” concluiu.

Deixe um comentário