Dom Odilo confere o sacramento da Crisma a 38 jovens e adultos

Dom Odilo confere o sacramento da Crisma a 38 jovens e adultos, Jornal O São Paulo
Foto: Fernando Arthur

Na manhã do Domingo da Misericórdia, 24, Dom Odilo Pedro Scherer conferiu o sacramento da Confirmação a 38 jovens e adultos na Paróquia Cristo Rei, no Tatuapé. A missa foi concelebrada pelos Padres Lauro Wisnieski, Pároco, e Atanásio Enchioglio, Vigário Paroquial. 

O Arcebispo, ao se dirigir aos crismandos, mostrou-se muito contente e indagou-os se estavam preparados para receber o sacramento do Espírito Santo. Também exortou-os a dar o exemplo de fé a outros adultos, para que estes possam receber os sacramentos da Iniciação Cristã. O Purpurado lembrou ainda aos padrinhos e madrinhas que eles são importantes na vida dos crismandos, por meio do testemunho que dão na caminhada da fé cristã. 

O Cardeal também agradeceu aos catequistas o trabalho e a dedicação durante o processo catequético. Dom Odilo ressaltou que o catequista é um pedagogo que ajuda a fazer um caminho, um companheiro de jornada: “A Igreja precisa muito de vocês, catequistas, pois o papel que desempenham é fundamental”, afirmou, ressaltando que os primeiros catequistas devem ser os pais e as mães. 

Ao falar sobre a liturgia dominical, o Arcebispo destacou que a Igreja vive um momento intenso de testemunho da fé em Cristo Ressuscitado: “A Ressurreição de Jesus é base importante da fé cristã, pois, por meio dela, Ele confirmou a fé dos apóstolos e confirma a nossa fé, hoje. Que Cristo reacenda a fé e aumente a graça, e faça com que compreendamos melhor o Batismo que nos lavou, o sangue que nos redimiu e a vida nova que nos foi dada”, afirmou. 

Dom Odilo ressaltou que, para se encontrar com Cristo, os fiéis devem buscá-lo na vida da Igreja, na Palavra de Deus  e no partir do pão, por meio das obras de misericórdia. 

Para Luiz Ivanov, um dos catequistas, a celebração trouxe a sensação de alegria e fortaleza na fé. Ele também afirmou que o processo catequético exigiu muita preparação e estudo, sobretudo por causa da pandemia, que impossibilitou boa parte dos encontros presenciais. “Transborda-nos a alegria de ver estes irmãos realmente inseridos na vida da Igreja, agora que estão mais capacitados e bem preparados para se aproximar da mesa do Senhor e celebrar os mistérios da nossa fé”, concluiu. 

FERNANDO ARTHUR
Colaborador de comunicação na Região Episcopal Belém

Deixe um comentário