Dom Odilo: ‘Cultivemos uma cultura marcada pelo Evangelho, pelo perdão e pelo respeito’

(Foto: Bruno Melo)

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a missa desta segunda-feira, 1º, na capela de sua residência, transmitida pela rádio 9 de Julho e pelas mídias digitais da Arquidiocese.

A liturgia da Palavra deste dia dá destaque para a necessidade de dar e receber perdão. “Nós pecamos, devemos pedir perdão a Deus e também  ao próximo, se nós o ofendemos. Temos a certeza de poder sempre receber o perdão de Deus”, afirmou dom Odilo, na homilia, citando o refrão do Salmo responsorial (Sl 78), que diz: “O Senhor não nos trata como exigem nossas faltas”.

“Nossas faltas, talvez, requerem uma pena maior que Deus, porém, não dá porque é misericordioso. Deus espera de nós o arrependimento sincero e humilde, então, o perdão é garantido. Deus sempre perdoa a quem recorre a Ele”, acrescentou o Arcebispo.

‘Não julgueis’

No Evangelho (Lc 6,36-38), Jesus exorta os discípulos a serem misericordiosos como o Pai. “Não julgueis e não sereis julgados; não condeneis e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados. Dai e vos será dado. Uma boa medida, calcada, sacudida, transbordante será colocada no vosso colo; porque com a mesma medida com que medirdes os outros, vós também sereis medidos”, disse o Senhor.

Dom Odilo também recordou as palavras do Papa Francisco no Angelus deste domingo, 28 de fevereiro, recomendando que, durante a Quaresma, seja feito o “jejum da fofoca, da maledicência e dos julgamentos”.

“As nossas mídias sociais estão cheias de insultos, xingamentos, condenações, preconceitos Isso reflete, certamente, o clima de convivência que vivemos, eu diria, envenenado, doentio. Não é um clima de benevolência, amizade, respeito, de boa vontade em relação ao outro”, observou o Arcebispo, salientando que tais atitudes não são cristãs.

“Isso também mostra o quanto perdemos da qualidade cristã na cultura”, complementou o Cardeal, exortando os fieis a cultivarem uma cultura marcada pelo Evangelho, isto é, “pelo perdão, respeito, misericórdia, solidariedade, fraternidade, amor, da consideração do outro e não da sua anulação”.

“Peçamos a Deus que nos ajude a viver, nesta Quaresma, esta dimensão do nosso jejum e da nossa penitência”, concluiu Dom Odilo.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter