Dom Odilo fala sobre a primeira basílica dedicada a Nossa Senhora no Ocidente

Em seu programa de rádio, ele comentou ainda sobre a celebração da Transfiguração do Senhor e a respeito do sínodo arquidiocesano

Dom Odilo fala sobre a primeira basílica dedicada a Nossa Senhora no Ocidente, Jornal O São Paulo

Nesta sexta-feira, 5, o Cardeal Odilo Pedro Scherer falou aos ouvintes da rádio 9 de Julho em seu programa diário, “Encontro com o Pastor” sobre o encontro com o clero, realizado no dia anterior, e a Festa da Dedicação da Basílica de Santa Maria Maior, celebrada em 5 de agosto, e a 3a sessão da assembleia sinodal arquidiocesana, que ocorrerá no sábado, 6. 

Ao recordar a festa de São João Maria Vianney, o Cura d’Ars, celebrada na quinta-feira, 4, Dom Odilo recordou o Encontro do Clero (colocar o link da matéria)realizado na Paróquia Pessoal Coreana Santo André Kim Degun, no Bom Retiro. “Celebramos bem, foi um dia muito bonito e muito bem aproveitado”, comentou, agradecendo o carinho da comunidade coreana no acolhimento ao clero. 

DEDICAÇÃO DA BASÍLICA DE SANTA MARIA MAIOR

Falando sobre a Festa da Dedicação da Basílica de Santa Maria Maior, celebrada na sexta-feira, 5, Dom Odilo ressaltou que esta é a primeira basílica dedicada a Nossa Senhora no Ocidente, e que foi edificada entre 432 a 440, após o Concílio de Éfeso (ano 431), que proclamou Maria como “Mãe de Deus”. 

Dom Odilo lembrou que a basílica é conhecida também pelo nome de Nossa Senhora das Neves, pois segundo a tradição, teria nevado durante sua edificação, em pleno verão, como sinal de Deus, confirmando aquilo que a Igreja definiu no Concílio de Éfeso. O Arcebispo recordou, também, que na Arquidiocese há uma paróquia, no Tucuruvi com este nome. 

O Arcebispo exortou os ouvintes a sempre recorrerem à Mãe de Deus, por meio da ‘Ave-Maria’. “Rezemos a Nossa Senhora, como sempre rezamos, quando invocamos: ‘Santa Maria, Mãe de Deus’”.

SÍNODO ARQUIDIOCESANO

Dom Odilo recordou que no sábado, 6, acontecerá a 3a sessão do sínodo arquidiocesano. “Um momento importante no caminho da nossa assembleia, procurando esclarecer as definições que vamos encontrando para o caminho pós-sinodal”, disse, pedindo a oração dos ouvintes ao Espírito Santo, pela Igreja em São Paulo. 

TRANSFIGURAÇÃO DO SENHOR

No sábado, 6, a liturgia celebra a Transfiguração do Senhor. Acerca desta celebração, Dom Odilo disse que essa festa fala da ressurreição de Jesus glorificado, e é uma “janela que já se abre durante a vida pública de Jesus sobre a ressurreição, que permite ver o futuro”. 

Ao ressuscitar, Jesus é glorificado da mesma maneira que aconteceu na transfiguração. “É um momento cristológico que celebramos para fortalecer nossa fé no nosso caminhar de cristãos”, definiu. 

Deixe um comentário