Dom Odilo preside missa em seminário na Solenidade da Imaculada Conceição de Maria

Arcebispo exortou que seminaristas tenham em Nossa Senhora o exemplo daquela que sempre ouviu a voz de Deus e colocou-se a serviço dos irmãos

Dom Odilo preside missa em seminário na Solenidade da Imaculada Conceição de Maria, Jornal O São Paulo
Bruno Carvalho de Melo

Na Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora, na quarta-feira, 8, o Cardeal Odilo Scherer presidiu a Eucaristia na Capela do Seminário de Teologia Bom Pastor, situado na Região Episcopal Ipiranga. Nessa oportunidade, também estiveram presentes os padres formadores, os sacerdotes ordenados no sábado, 4, e a comunidade dos seminaristas da Arquidiocese de São Paulo.

A Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora faz memória que Maria foi concebida sem a macula do pecado original. Diferentemente do restante da humanidade, marcada pelo pecado da herança de Adão e Eva, Maria foi preservada de toda macula e impureza. Essa é a essência dessa solenidade, celebrada a cada 8 de dezembro.

Na homilia, o Arcebispo Metropolitano recordou que, ao passo que nossos pais (Adão e Eva) ouviram a serpente e quiseram ser como Deus, Maria esteve atenta e ouviu apenas à voz de Deus, e respondeu: “Eis aqui a serva do Senhor” (Lc 1,38).

Dom Odilo recordou que, apesar da primeira queda, a descendência de Eva seguirá pisando a cabeça da serpente (cf. Gn 3,15; Ap 12). A descendência de Maria se refere a Jesus Cristo. Ele é o Filho de Deus nascido de Maria, que venceu o mal e o pecado. Cristo é o novo Adão e a Igreja redimida por Jesus, a nova Eva, simbolizada em Maria concebida sem pecado.

Nesse sentido, o mistério da concepção pura de Nossa Senhora é inteiramente cristológico, haja vista que Maria foi preservada do pecado em função da missão grandiosa que teria, isto é, gerar em seu ventre o Filho de Deus. Deus quis preparar para seu Filho mãe que fosse digna Dele. Essa é a fé da Igreja, conforme ressaltou o Arcebispo, e Maria recebe esse privilégio graças a seu Filho salvador.

A Virgem Maria, portanto, está na Igreja como sinal daquilo que Deus primeiramente quis da humanidade. E, a partir desse sonho de Deus, Maria é tudo aquilo que cada pessoa é chamada a ser. Nossa Senhora é imagem da Igreja redimida! Portanto, quem olha para Maria, vê o que Deus sonhou para toda a humanidade. Se fomos maculados após a falta de nossos primeiros pais, em Cristo somos redimidos e salvos, chamados à adesão ao Evangelho e ao caminho de contínua conversão.

OLHAR PARA MARIA, OLHAR PARA JOSÉ

Dom Odilo exortou os seminaristas a olharem sempre para Maria Imaculada como exemplo de serviço aos irmãos, haja vista que a missão do padre é ajudar o Povo de Deus na caminhada rumo à salvação. Assim como Maria, que cada sacerdote possa responder em seu coração “Faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc 1,38).

Por fim, dirigiu uma palavra sobre São José, por ocasião da conclusão do ano dedicado ao Santo. José também foi chamado a ingressar de forma ativa no mistério maravilhoso da Encarnação do Filho de Deus. Assim como Maria, São José igualmente se dispôs a realizar a vontade divina.

“São José, um homem de fé, um homem fiel, discreto. Um homem do ‘sim’, atento à vontade de Deus. São José, como diz o papa Francisco, é o ‘provedor discreto da Igreja’, aquele que acompanha e cuida da Igreja, como fez no lar de Nazaré”, disse dom Odilo ao recomendar que todos continuem a recorrer a São José em suas orações.  

Dom Odilo preside missa em seminário na Solenidade da Imaculada Conceição de Maria, Jornal O São Paulo
Bruno Carvalho de Melo

Após a Eucaristia, houve uma um momento de confraternização do Arcebispo com todos. Dom Odilo exertou os votos de boas festas e encerrou oficialmente as atividades anuais do Seminário Imaculada Conceição.

(Texto e fotos: seminarista Bruno Carvalho de Melo)

Deixe um comentário