Em 100 dias, Brasil teve quase metade dos óbitos da pandemia

Cemitério Campo da Esperança, em Brasília (DF) (Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília)

O Brasil registrou 2.870 mortes por COVID-19 nas últimas 24 horas, segundo levantamento divulgado pelo consórcio de veículos de imprensa na sexta-feira, 30. Com isso, o país chega a um total de 404.287 óbitos.

Já os dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) registrou 2.595 mortes e 68.333 novos casos de COVID-19.

No período de 100 dias com média móvel de mortes acima de mil, o total de óbitos quase dobrou: saltou de 212 mil para 404 mil.

A média móvel de mortes nos últimos sete dias chegou a 2.523 – mesmo número da véspera. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -13%, indicando tendência de estabilidade nos óbitos decorrentes do vírus. É o segundo dia na faixa estável, após seis dias seguidos apontando queda.

Na quinta-feira, 29, o País ultrapassou a marca de 400 mil vidas perdidas pelo novo coronavírus. Abril foi o mês mais letal da pandemia no Brasil. São mais de 14 milhões de infectados pela doença e 403.781 mortes causadas pela COVID-19. O país também completa 45 dias com a média móvel de óbitos acima dos 2 mil mortos por dia.

Registro histórico no Sudeste

Segundo a Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil) a Região Sudeste teve, pela primeira vez na história, um mês com mais mortes do que nascimentos. Com cerca de 85 milhões de habitantes, a região registrou, até esta sexta-feira, 81.525 óbitos e 76.508 nascimentos.

Os estados do Rio de Janeiro e São Paulo totalizaram 5.580 mortes a mais do que nascimentos. Em Minas Gerais, com apenas 41 nascimentos a mais do que óbitos, também pode registrar este fenômeno pela primeira vez.

Vacinação

O balanço da vacinação contra COVID-19 da sexta-feira aponta que 31.667.346 pessoas já receberam a primeira dose de vacina, segundo dados levantados pelo consórcio de veículos de imprensa até as 20h. O número representa 14,95% da população brasileira.

A segunda dose do imunizante já foi aplicada em 15.677.543 pessoas (7,40% da população do país) em todos os estados e no Distrito Federal.

No total, 47.344.889 doses foram aplicadas em todo o país.

Pfizer

O primeiro lote de 1 milhão de doses de vacinas da Pfizer chegou ao aeroporto internacional de Viracopos, em Campinas (SP), por volta das 19h30 de hoje.

Segundo o Ministério da Saúde, as doses deverão ser usadas prioritariamente nas capitais em razão das condições específicas de armazenamento, que precisa ocorrer em temperaturas muito baixas.

De acordo com a pasta, os entes federados receberão as doses de forma proporcional e igualitária. Os frascos serão entregues em temperaturas entre -25ºC e -15ºC. A conservação, nessa faixa de temperatura, pode ser feita apenas durante 14 dias. Se mantidas em temperaturas de armazenamento entre 2ºC e 8ºC, da rede frio dos estados, o prazo para aplicação das doses diminuiu para cinco dias.

(Com informações de Agência Brasil, CNN Brasil e G1)

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter