Em 3 semanas, internações por COVID-19 em SP crescem 68%

Em 67 cidades, 100% dos leitos para COVID-19 estão ocupados. Governo do Estado antecipará vacinação para pessoas de 72 a 74 anos para o dia 19

Foto: Reprodução da internet

Em coletiva no Palácio dos Bandeirantes, na tarde desta quarta-feira, 19, o governador de São Paulo, João Doria, secretários estaduais e membros do Centro de Contingência do Coronavírus atualizaram dados da pandemia no estado e medidas de apoio a alguns setores.

Em 22 de fevereiro, estavam internados em unidades de terapia intensiva (UTIs) no estado de São Paulo 6.410 pessoas. Nesta quarta-feira, há 10.756 nessa condição, aumento de 68%.  O número de pacientes em enfermaria é de 14.236 pessoas. A taxa de ocupação no estado está próxima a 90% e na Região Metropolitana é de 90,6%.

Em média, a cada dia 200 pessoas com sintomas de COVID-19 requerem internação na rede de saúde. Em 67 municípios paulistas, 100% dos leitos de UTI para o novo coronavírus estão ocupados. Atualmente, o estado mantém 16 hospitais de campanha e tem aberto mais leitos.

APELO À POPULAÇÃO

De acordo com o secretário da Saúde do estado de São Paulo, Jean Gorinchteyn, as novas variantes do vírus tem se encontrado com uma população que ainda desrespeita as recomendações para conter o avanço da COVID-19, como o uso de máscaras, higienização frequente das mãos, distanciamento social e isolamento.

“Precisamos do apoio da população, atendendo as medidas”, ressaltou Gorinchteyn. “A população está cansada. E ai está o problema. Na medida em que baixamos a guarda, há mais riscos de as pessoas morrerem”, complementou.

Desde o dia 15, está em vigor a Fase Emergencial do Plano São Paulo, com restrições de atividades presenciais, com  a meta de reduzir a circulação de pessoas em todo o estado.

Na terça-feira, 16, a taxa de isolamento no estado estava em 44%, valor abaixo do 50%, mínimo desejado para este momento de medidas restritivas.

Paulo Menezes, coordenador do centro de contingência, disse que as medidas tomadas recentemente “terão consequências daqui a uma, duas semanas. Só veremos o resultado daqui a alguns dias. É preciso que todos colaborem”.

Nesse contexto, Menezes destacou que por enquanto o centro de contigência ainda não recomenda o lockdown no estado, pois precisa ser avaliado os resultados alcançados na Fase Emergencial do Plano São Paulo.

“No transporte metropolitano, temos uma redução de 61% de passageiros em trens e ônibus metropolitanos em relação ao que era antes das medidas de quarentena”, observou Menezes, pedindo, ainda, que as indústrias, comércios e serviços que continuam com atividades presenciais sigam a sugestão do escalonamento para o horário de entrada e saída dos trabalhadores.

VACINAÇÃO

Também na coletiva de hoje, Doria anunciou será antecipado para sexta-feira, dia 19, o início da vacinação para pessoas entre 72 a 74 anos. Nesta faixa etária estão 730 mil pessoas no Estado de São Paulo.

Anteriormente, a vacinação para esta faixa etária seria iniciada na segunda-feira, dia 22. Na segunda-feira, 15, passarão a ser vacinados os idosos entre 75 e 76 anos.

Serão mantidos os postos de vacinação abertos até agora, nas unidades de saúde e também em drive-thru. O governo recomenda que quem estiver apto para tomar a vacinação faça o pré-cadastro no site Vacina Já (www.vacinaja.sp.gov.br). O cadastro não é obrigatório, mas ajuda a poupar tempo no processo de vacinação.

Nesta quarta-feira, o Instituto Butantan entregou mais 2 milhões de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde. Na segunda-feira, já haviam sido entregues 3,6 milhões de doses, totalizando 22,6 milhões de imunizantes até agora.

Até 30 de abril, o Butantan entregará as 46 milhões de doses ao Ministério da Saúde,. Entre maio e o fim de agosto, serão mais 54 milhões de doses. Doria cobrou que o governo federal aumente a disponibilidade de doses à população.

MEDIDAS ECONÔMICAS

O Governo do Estado também anunciou uma linha emergencial de crédito de R$ 100 milhões, via a Desenvolve SP e o Banco do Povo, para micro e pequenos empreendedores no estado.

Comércios no setor de alimentos inscritos no Simples Nacional terão redução do ICMS na carne – de 13% para 7% – e será zerada a alíquota para o leite pausterizado. As medidas serão válidas a partir de abril.

O Governo de São Paulo também suspendeu, até 30 de abril, qualquer corte de água e gás canalizado para os setores de comércio e serviços de quem está em débito. As dívidas poderão ser renegociadas e os devedores não serão incluído no cadastro de devedores.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter