Na Arquidiocese de São Paulo, sinos tocam em solidariedade às vítimas da COVID-19

Iniciativa foi proposta pela CNBB para as Igrejas de todo o País

Luciney Martins/O SÃO PAULO

No Domingo da Divina Misericórdia, 11, às 15h, na Catedral da Sé e em diversas Igrejas da Arquidiocese de São Paulo, os sinos soaram em homenagem às vítimas da COVID-19. A iniciativa foi proposta pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para as Igrejas de todo o País.

“Os sinos da Catedral tocaram atingindo os nossos corações, tão marcados pela dor e pelo sofrimento dos últimos tempos. Essa também foi uma forma de manifestar solidariedade as famílias enlutadas, que não puderam sequer velar os corpos de seus familiares”, disse Padre Luiz Eduardo Pinheiro Baronto, Cura da Catedral da Sé, em transmissão pelo Youtube da Igreja-Mãe da Arquidiocese.

A CNBB enfatizou a importância de manifestar sinais de esperança, fé e solidariedade neste momento difícil e afirmou que o badalar dos sinos também recordou os esforços dos profissionais da saúde e o desejo dos brasileiros quanto à superação da Pandemia.

ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO

A Basílica de Sant’Ana, promoveu um momento de oração transmitido pelas redes sociais conduzido pelo Padre José Roberto Abreu de Mattos, Pároco, que rezou por todos os enfermos e recordou que a festa da misericórdia é refúgio e abrigo para todos as almas. Os sinos também repicaram na Paróquia Nossa Senhora da Anunciação, no Setor Pastoral Vila Maria

Na Região Episcopal Brasilândia, a Paróquia São Luís Gonzaga, em Pirituba, também participou desta iniciativa.

Na Paróquia Santa Cruz de Itaberaba, na Freguesia do Ó, o badalar dos sinos foi procedido com a missa do 2º Domingo da Páscoa.

Na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, na Vila Souza, os fiéis foram convidados a rezar o Terço da Divina Misericórdia em transmissão pelo Facebook.

Na Região Lapa, os sinos também repicaram na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, na Vila Hamburguesa, às 15h.

A Paróquia Santa Cristina, na Região Episcopal Ipiranga, transmitiu o badalar dos sinos e enfatizou em suas redes sociais “Tocamos nossos sinos neste Domingo da Misericórdia como um gesto simples de respeito, que os sons dos sinos cheguem aos céus pedindo a misericórdia divina sobre nós”, afirmou o Padre Rodrigo Felipe, Pároco.

O SIGNIFICADO DOS SINOS

Os sinos existem desde o século V e foram de vasto uso na Idade Média. Eram particularmente usados nas comunidades monásticas para chamar os monges, que, durante o dia, se espalhavam por diversos locais dos mosteiros no cuidado de suas atividades, a fim de reuni-los para as orações na capela. Mais tarde, foi ficando comum ouvi-los também nas igrejas paroquiais, convidando o povo de Deus para a celebração da Eucaristia e para outros atos de piedade, como a oração do Angelus três vezes ao dia.

O Ritual Romano apresenta uma benção solene aos sinos das igrejas e explica o simbolismo e o poder espiritual que eles passam a ter quando abençoados. Uma parte do rito da bênção diz: “Vos pedimos que façais com que este vaso, preparado para a Vossa santa Igreja, seja santificado pelo Espírito Santo, para que os fiéis pelo seu toque sejam convidados para o prêmio. E, quando aos ouvidos dos povos ressoar a sua melodia, aumente neles a devoção da fé; sejam repelidas para longe todas as ciladas do inimigo”.

(Com informações de Aleteia)        

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter