Padre Daniel Campos toma posse como Pároco da Paróquia São Judas Tadeu

A Paróquia São Judas Tadeu, na Região Episcopal Ipiranga, celebrou no dia 28 de dezembro, último dia devocional em louvor ao padroeiro em 2021, a missa de posse do seu novo Pároco, Padre Daniel Aparecido de Campos.

A missa foi presidida por Dom Ângelo Ademir Mezzari, RCJ, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Episcopal Ipiranga.

Padre Daniel Campos toma posse como Pároco da Paróquia São Judas Tadeu, Jornal O São Paulo
Missa de posse do Padre Daniel de Campos é presidida por Dom Ângelo Mezzari

Padre Daniel havia assumido interinamente a administração paroquial em 1º de agosto, em lugar do Padre Eli Lobato dos Santos.

Na homilia, Dom Ângelo citou a Sagrada Família de Nazaré como modelo das famílias cristãs e destacou o martírio dos Santos Inocentes, celebrado nessa data. “O mundo continua sendo oprimido por seus poderosos que negam a vida, saúde, alimentos e até vacinas comprovadamente eficazes, e que não se comprometem com a vida de milhares de crianças ainda hoje. Os inocentes continuam sendo mortos”, afirmou o Bispo, que pediu a Deus o dom da dignidade aos pais e mães para poderem criar, formar e educar as crianças.

LUGAR DE PEREGRINAÇÃO 

Dirigindo-se ao novo Pároco, o Bispo sublinhou que o Padre assume efetivamente o pastoreio da comunidade paroquial, “lugar de peregrinação na Arquidiocese, onde tantos encontram conforto e esperança por meio da celebração da Eucaristia e da Reconciliação. Lugar também de partilha do pão material, do vestuário e das doações partilhadas e distribuídas aqui”.

“Aqui é um centro de fé, amor, caridade, centro de devoção, que mantém viva a memória e devoção a um dos 12 apóstolos, colunas da nossa igreja. Agradecemos aos religiosos dehonianos, que aqui vivem há muitos anos e exercitam seu ministério no amor de Deus. Com o Padre Daniel à frente, que tantos religiosos e colaboradores daqui vivam com fraternidade e alegria, para que cada peregrino possa encontrar o alimento da fé, a Palavra de Deus, a Eucaristia, o sustento na hora da dor e do sofrimento, sobretudo encontrar a esperança do perdão, da misericórdia de Deus, para que todos vivam com muito amor. Sempre endereçando a Deus a nossa oração aos sacerdotes, religiosos e religiosas e a todo o povo de Deus. Coragem, não tenham medo!”, completou Dom Ângelo.

Texto: Priscila de Lima Thomé Nuzzi

Deixe um comentário