Paróquia São Sebastião comemora 100 anos da primeira igreja construída na Vila Guilherme

Paróquia São Sebastião comemora 100 anos da primeira igreja construída na Vila Guilherme
Fotos: Luciney Martins /OSÃO PAULO

Os fiéis da Paróquia São Sebastião, na Vila Guilherme, zona Norte de São Paulo, celebraram a festa de seu padroeiro na quinta-feira, 20. Na ocasião, também foram comemorados os 100 anos da construção da primeira capela que deu origem à comunidade paroquial.

A Eucaristia solene foi presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo, e concelebrada pelo Padre Luiz Cláudio Vieira, Administrador Paroquial.

HISTÓRIA

A presença da Igreja Católica na Vila Guilherme se confunde com a origem deste bairro fundado em 1912, quando o comerciante fluminense Guilherme Praun da Silva comprou 115 alqueires de uma baronesa chamada Joaquina Ramalho, na várzea do rio Tietê.

Considerado um visionário, Praun começou a lotear a área e vender os terrenos. A primeira construção de uso público do bairro foi justamente a pequena igreja dedicada a São Sebastião, inaugurada em 20 de janeiro de 1922, festa litúrgica do Santo mártir e data do aniversário de Guilherme Praun. O segundo equipamento público foi o grupo escolar, inaugurado em 1925, onde hoje funciona a Casa de Cultura da Vila Guilherme.

REFERÊNCIA

Durante muitos anos, o bairro manteve as características rurais. Embora estivesse próximo ao centro da cidade, o fato de haver apenas uma pequena ponte de madeira dificultava o acesso dos moradores ao bairro.

Logo a Igreja de São Sebastião se tornou um lugar de referência não apenas para a vivência da fé como para as demais atividades da comunidade local. Foi lá que funcionou a primeira escola infantil, o cinema e o teatro comunitários, além do primeiro campo de futebol e uma cooperativa de alimentos dos moradores. “Muitas gerações construíram sua identidade cultural e social a partir desta igreja e da comunidade que se formou nela”, observou Padre Luiz Cláudio.

Em 1950, a comunidade de São Sebastião se tornou paróquia e a antiga igreja foi demolida para a construção da atual matriz paroquial. Nos anos seguintes, o bairro começou a se desenvolver, principalmente após a construção da Ponte da Vila Guilherme, inaugurada em 1967.

RENOVAR O COMPROMISSO

Na homilia, Dom Odilo ressaltou que, ao celebrar o centenário da primeira igreja do bairro, todos são convidados a fazer memória da vida dessa comunidade eclesial. “Recordando a história, damo-nos conta de quem somos… A Igreja é assim: sucede-se uma geração após a outra e cada um dá seu testemunho para que a Igreja realize a sua missão no seu tempo.”

O Arcebispo exortou os paroquianos a renovarem o compromisso com a missão de testemunhar o Evangelho no bairro, por meio, sobretudo, do anúncio da Palavra, da celebração dos sacramentos e do serviço da caridade. “É importante que na Paróquia se mantenha o testemunho das virtudes fundamentais da vida cristã: fé, esperança e caridade”, acrescentou.

O Cardeal recordou, ainda, que em 2025 se comemora o jubileu de 75 anos de criação da Paróquia, uma nova oportunidade para celebrar a presença e a missão da Igreja no bairro. 

FAMÍLIA

O tema das comemorações do centenário da primeira Igreja de São Sebastião é “O amor de Cristo nos uniu: Somos uma família, somos diferentes, amamo-nos e nos respeitamos”. O Administrador Paroquial enfatizou que, ao celebrar um século de presença na Vila Guilherme, a Igreja renova a missão de anunciar o Evangelho, indo ao encontro de todas as famílias que ali vivem.

Silvana Aidar, 62, é uma das testemunhas da fé transmitida por gerações na Vila Guilherme. Assim como sua mãe, ela nasceu no bairro e se casou na comunidade paroquial há 40 anos. Sua filha, Juçara Aidar Batista, 34, recebeu todos os sacramentos da iniciação cristã na Paróquia, onde também a neta, Elisa Aidar Batista, de 4 meses, será batizada em fevereiro.

“Somos enraizados na Vila Guilherme e na Paróquia São Sebastião. É muito emocionante celebrar os 100 anos da nossa comunidade. É importante  sempre recordarmos de onde viemos e quem ajudou a construir a nossa história; assim, ajudarmos a construir a comunidade onde nossos filhos e netos viverão”, relatou Silvana. 

HOMENAGENS

O centenário também contou com o lançamento de um documentário produzido pelos paroquianos, em que eles próprios ajudam a contar a história da comunidade. Também foi reeditado um livro publicado há 20 anos, que reúne relatos em primeira pessoa de mais de uma centena de antigos moradores do bairro e que contém recordações sobre a Paróquia São Sebastião.

“À luz da Palavra de Deus e inspirados na fidelidade do glorioso mártir São Sebastião, fiéis à graça divina desde seu Batismo, jamais se apartando do que era agradável aos olhos de Deus, queremos também reafirmar nosso compromisso com a Igreja em sua missão, vivendo em comunidade, na fraternidade, acolhida, amor ao próximo e alegria, contribuindo para a transformação desta querida capital, testemunhando que ‘Deus habita esta cidade imensa e nós somos suas testemunhas’”, afirmou Padre Luiz Cláudio, recordando o lema do sínodo arquidiocesano.

Deixe um comentário