‘Que a Igreja continue firme no caminho do testemunho do Evangelho, apesar das crises’

(Reprodução da internet)

Durante a missa desta sexta-feira da Oitava da Páscoa, 9, na capela de sua residência, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, enfatizou que a história da Igreja é marcada por crises que sempre a ajudaram a renovar a fé e a permanecer fiel  na missão de testemunhar a presença do Ressuscitado.

A Eucaristia, transmitida pela rádio 9 de Julho e pelas mídias digitais da Arquidiocese, foi celebrada na intenção de todos os enfermos, falecidos e daqueles que se dedicam aos cuidados dos doentes. Também foram recordadas todas as pessoas que sofrem os diferentes impactos da atual pandemia.

Renovar o Batismo

O Cardeal iniciou a homilia chamando a atenção para as orações litúrgicas da Oitava da Páscoa, que fazem referência ao Batismo, pois a Páscoa é ocasião para os cristãos renovarem a graça recebida nesse sacramento, por meio do qual os fiéis são “sepultados com Cristo e ressuscitados com ele para a vida nova”.

 “O Batismo marca a vida toda, não apenas aquele momento. Ele nos introduz em um modo de ser e de viver, que deve, no dia a dia, concretizar-se por meio do nosso comportamento, atitudes e escolhas. Por isso mesmo, a nossa vida deve manifestar a nossa participação no povo de Deus, na Igreja; deve manifestar a nossa condição de filhos de Deus”, enfatizou o Arcebispo.

Testemunho nas perseguições

A primeira leitura (At 4,1-12) narra como os apóstolos Pedro e João começaram a sofrer por seu testemunho sobre a ressureição de Jesus Cristo e as curas que realizavam em seu nome. Eles foram presos pelas autoridades do templo e, no dia seguinte, interrogados e ameaçados. “Mas, ainda assim, Pedro cumpre a sua missão. Não se atemoriza, e continua a falar daquilo que viram e testemunharam, para perplexidade das autoridades”, comentou Dom Odilo.

O Cardeal observou, ainda, que esse testemunho dos apóstolos começou a atrair as pessoas e, assim, se constituía a Igreja nascente, que logo se expandiu para além de Jerusalém e seus arredores. “Das perseguições, Deus faz surgir missionários, porque os cristãos se dispersam e o anúncio do Evangelho se espalha”, completou.

Caminho

O Arcebispo continuou a reflexão chamando a atenção para vários aspectos dessa primeira comunidade cristã, que, no início, se reunia nas sinagogas e, aos poucos, percorreu um caminho próprio. Tanto que o primeiro nome atribuído ao Cristianismo foi justamente “O Caminho”.

“Dois mil anos depois, é bom recordar os inícios. Quando vemos a Igreja passando por crises, dificuldades, é preciso lembrar que a Igreja sempre passou por crises. Tivemos poucos tempos na nossa história sem que houvesse crises. Por isso, elas não devem nos assustar, pois, são momentos de discernimento, de fazer novas escolhas e, portanto, continuar o caminho com convicções aprofundadas e renovada”, afirmou o Cardeal.

“Que a Igreja continue firme no caminho do testemunho do Evangelho, apesar das crises e que, dessas crises, possa tirar novos rumos e nova vitalidade”, concluiu Dom Odilo.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter