‘Que Deus que nos mantenha firmes, fortes e esclarecidos na nossa fé’

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a missa na manhã deste sábado, 12, na capela de sua residência, transmitida pela rádio 9 de Julho e pelas mídias digitais da Arquidiocese.

Nesta data, a Igreja celebra o Santíssimo nome de Maria, comemoração feita dias após a festa da sua natividade, celebra na última terça-feira, 8.

“Maria, nome que tantas vezes invocamos, é aquela que Deus amou e escolheu para ser a mão de seu Filho, aquela que foi agraciada para que pudesse nos trazer o Salvador do mundo”, destacou Dom Odilo.

BONS FRUTOS

No Evangelho (Lc 6,43-49), Jesus conclui o discurso das bem-aventuranças dizendo: “Não existe árvore boa que dê frutos ruins, nem árvore ruim que dê frutos bons. Toda árvore é reconhecida pelos seus frutos. Não se colhem figos de espinheiros, nem uvas de plantas espinhosas”.

Em seguida, o Senhor destaca que homem bom tira coisas boas do bom tesouro do seu coração, enquanto o mau tira coisas más, pois “sua boca fala do que o coração está cheio”.

“Isso deve nos levar a pensar na educação do nosso caráter, da nossa vida, no controle que devemos adquirir sobre as nossas paixões, tendências, vícios e inclinações, para que não produzam frutos ruins a todo instante”, explicou o Arcebispo.

O Cardeal destacou, ainda, que o crescimento na virtude é um esforço diário que dura até o fim da vida, para que sejam produzidos os frutos que são conforme o Espírito de Deus que habita em cada pessoa.

UM SÓ SENHOR

Na primeira leitura (1Cor 10,14-22), São Paulo enfrenta o problema da idolatria que ainda não havia sido superado na comunidade de Corinto, dando a entender que algumas pessoas, depois de participarem da Eucaristia, buscavam os sacrifícios aos ídolos pagãos.

“O cálice que abençoamos, não é comunhão com o sangue de Cristo? E o pão que partimos, não é comunhão com o corpo de Cristo? Porque há um só pão, nós todos somos um só corpo, pois todos participamos desse único pão”, ressaltou o Apóstolo.

Dom Odilo enfatizou a seriedade desse assunto, pois, ainda hoje, há pessoas que participam dos mistérios cristãos e buscam outros cultos e ídolos que não condizem com a fé que afirmam professar. “Jesus já nos disse que não podemos servir a dois senhores… Quem participa da idolatria serve a outros ‘senhores’ e não respeita o primeiro mandamento: ‘amar a Deus sobre todas as coisas’”, sublinhou.

O Arcebispo também esclareceu que o respeito a outras religiões e o diálogo com aqueles que as professam é diferente da idolatria, que consiste na prática e no culto a outra tradição religiosa. “Peçamos a Deus que nos mantenha firmes, fortes e esclarecidos na nossa fé”, concluiu.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter