Santa Maria Goretti: jovem testemunha da virtude da pureza

Na missa desta segunda-feira, 6, na capela de sua residência, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, celebrou a memória de Santa Maria Goretti, virgem e mártir.

Nascida em Nasceu Corinaldo, na Itália, em 1890, Maria Goretti era de família pobre. Sua infância, passada nas proximidades de Netuno, foi dura, auxiliando a mãe nos cuidados da casa; sendo piedosa e assídua na oração. Em 6 de julho de 1902, ao resistir a uma tentativa de estupro, a adolescente foi morta a punhaladas por seu agressor.

Maria Goretti foi canonizada em 24 de junho de 1950 pelo Papa Pio XII, sendo reconhecida como “mártir da castidade”, pois deu sua vida para defender a sua pureza. O martírio da adolescente foi a causa da conversão de seu assassino, que, depois de sair da cadeia, esteve presente da celebração de canonização ao lado da mãe da mártir, que o perdoou.

PELAS VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA

Dom Odilo ofereceu a Eucaristia, que foi transmitida pela rádio 9 de Julho e pelas mídias digitais da Arquidiocese, pela intenção de todas as vítimas de abusos e violências sexuais, especialmente as crianças e adolescentes. “Rezemos para que cessem essas monstruosidades e não aconteçam em mais nenhum lugar”, afirmou.

Na homilia, o Cardeal chamou a atenção para o Evangelho do dia, que narra o episódio em que Jesus ressuscitou a uma jovem menina e a relacionou com a a história da jovem mártir.

ENTREGOU A VIDA

Em seguida, o Arcebispo leu o texto da homilia proferida pelo Papa Pio XII, na celebração de canonização de Santa Maria Goretii: 

A única foto conhecida de Santa Maria Goretti,
registrada em 1902

Todos conhecem o terrível combate que esta virgem indefesa teve de travar. Contra ela, levantou-se subitamente uma tremenda e cega tempestade que tentou manchar e violar sua candura angélica. Mas, ao ver-se em meio a tão grave situação, ela poderia ter repetido ao divino Redentor as palavras daquele livrinho de ouro, A Imitação de Cristo: “Ainda que eu seja tentada e provada por muitas tribulações, não temerei mal algum; contanto que a vossa graça esteja comigo. Ela é minha força; ela me aconselha e ajuda. É mais poderosa do que todos os inimigos”. Por isso, protegida pela graça celeste, à qual correspondeu com uma vontade forte e generosa, entregou a sua vida, mas não perdeu a glória da virgindade.

Na vida desta humilde mocinha, que esboçamos com leves traços, pode-se ver um espetáculo não apenas digno do céu, mas digno também de ser admirado e respeitado pelas pessoas do nosso tempo. Aprendam os pais e mães de família como é necessário educar com retidão, santidade e firmeza os filhos que Deus lhes deu, e formá-los na obediência aos preceitos da religião católica; de tal modo que, se sua virtude for submetida a dura prova, possam superá-la, saindo dela vencedores, sem feridas e sem manchas, íntegros e incontaminados, com a ajuda da graça divina.

Aprenda a alegre infância, aprenda a ardorosa juventude a não cair tristemente nos volúveis e vazios prazeres da paixão, a não ceder perante as seduções do vício; mas, pelo contrário, a lutar com entusiasmo, mesmo em situações difíceis e espinhosas, para alcançar aquela perfeição cristã de bons costumes. Todos nós podemos atingir de certo modo tal perfeição, com a força de vontade, ajudada pela graça divina, por meio do esforço, do trabalho e da oração.

De fato, nem todos somos chamados a sofrer o martírio; mas todos somos chamados a praticar as virtudes cristãs. A virtude, porém, requer energia; mesmo sem atingir as alturas da fortaleza desta angélica menina, nem por isso obriga menos a um cuidado contínuo e muito atento, que deve ser sempre mantido por nós até o fim da vida. Por isso, semelhante esforço bem pode ser considerado um martírio lento e constante. A isto nos convidam as palavras de Jesus Cristo: O reino dos céus sofre violência, e são os violentos que o conquistam (Mt 11,12).

Esforcemo-nos todos por alcançar este objetivo, confiados na graça do céu. Sirva-nos de estímulo a santa virgem e mártir Maria Goretti. Que ela, da mansão celeste, onde goza da felicidade eterna, interceda por nós junto ao divino Redentor, a fim de que todos, nas condições de vida que são as nossas, sigamos os seus gloriosos passos com generosidade, vontade firme e obras de virtude.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter