UBSs do município intensificam ações para tratar diabéticos neste mês

UBSs do município intensificam ações para tratar diabéticos neste mês, Jornal O São Paulo
Pixabay

As 470 Unidades de Saúde (UBSs) da capital promovem até o final deste mês de novembro ações com foco na promoção da saúde de pacientes com diabetes. Serão intensificados os rastreamentos dos pacientes cadastrados no Programa de Automonitoramento Glicêmico (Pamg) para prevenção e orientação desse contingente.

Na última sexta-feira (18), foram realizadas busca ativa de pacientes para fazer a avaliação do chamado pé diabético e de outras complicações que a doença pode trazer. Foram atendidas 4.381 pessoas – 2.005 homens e 2.376 mulheres.

Atualmente, 129.914 munícipes portadores de diabetes insulinodependentes são assistidos pelo Pamg na cidade de São Paulo. Em 2021, 123.136 pacientes eram acompanhados, o que demonstra o esforço da SMS no sentido de ampliar cada vez mais a assistência.

O Pamg tem por objetivo atender e cadastrar cidadãos portadores da doença, inclusive insulinodependentes, possibilitando o acesso de forma contínua aos insumos, tais como tiras, lancetas, seringas e o aparelho para verificação de glicemia capilar. A inscrição no programa deve ser realizada na UBS de referência do usuário, por meio de cadastro no Sistema Integrado de Gestão de Atendimentos (Siga) e entrega do formulário de solicitação de insumos, preenchido pelo médico responsável com a prescrição e relatório médico.

UBSs do município intensificam ações para tratar diabéticos neste mês, Jornal O São Paulo
Imagem: Prefeitura de São Paulo

Essa ação para tratar pés diabéticos, além de outras relativas à doença na rede municipal, são em alusão ao Dia Mundial de Diabetes (14 de novembro). “A avaliação dos pés diabéticos é uma ação muito importante na linha de cuidado das pessoas portadoras de diabetes para a prevenção de feridas e futuras amputações. Tudo começa na prevenção”, destaca a secretária-executiva de Atenção Básica, Especialidades e Vigilância em Saúde do município, Sandra Sabino.

Segundo dados da área técnica de Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) da Atenção Básica, o número de atendimentos a pessoas com diabetes mellitus (DM) nos equipamentos públicos da rede municipal, durante os meses de janeiro e outubro deste ano, foi de 68.220 mulheres e 45.498 homens.

Fonte: Prefeitura da Cidade de São Paulo

Deixe um comentário