As marcas da guerra: prefeito de Lviv, na Ucrânia, entrega ao Papa uma cruz com o chumbo de projéteis

A iniciativa “Unbroken” para os feridos de guerra foi apresentada ao Pontífice durante a Audiência Geral desta quarta-feira (7), no Vaticano. O prefeito Andriy Sadovyi também entregou uma cruz feita de madeira e com o chumbo derretido de duas balas – extraídas dos corpos das vítimas de guerra – como símbolo das pessoas que estão morrendo e sofrendo no país.

As marcas da guerra: prefeito de Lviv, na Ucrânia, entrega ao Papa uma cruz com o chumbo de projéteis, Jornal O São Paulo
Foto: Vatican Media

Há chumbo fundido de dois projéteis – extraídos dos corpos das vítimas da guerra – na pequena e simples cruz de madeira entregue na manhã de quarta-feira (7) pelo povo de Lviv ao Papa Francisco. Ao entregá-la, o prefeito Andriy Sadovyy salientou que naquela cruz estão pregadas todas as pessoas que, na Ucrânia, estão morrendo e sofrendo. Com ele estava uma delegação de autoridades municipais, como o vice-prefeito e o assessor para as relações internacionais. Entre os presentes, também uma pulseira amarela que Francisco colocou em seu pulso.

“Pela carta que o Papa escreveu ao nosso povo ucraniano, em 24 de novembro, expressamos profunda gratidão esta manhã porque naquelas palavras reconhecemos a proximidade”, disse o prefeito. Lviv “é uma cidade nobre, com uma tradição cultural, a poucos quilômetros da fronteira com a Polônia, que é um país da União Europeia. Hoje é uma cidade fronteiriça entre a guerra e a paz, um ponto de referência e de passagem para os muitos ucranianos que tiveram que deixar suas cidades, suas aldeias, que viram as suas casas destruídas nestes mais de 9 meses de bombardeio”. Sim, acrescentou ele, “assim como estamos aqui agora, as bombas continuam caindo sobre o nosso povo”.

O primeiro cidadão de Lviv não escondia a dor, mas tinha palavras de esperança e de renascimento. “Em sua carta, o Papa escreveu que ele também reza por nós, pelas autoridades da Ucrânia. Porque sobre nós paira o dever de governar em tempos trágicos e de tomar decisões clarividentes para a paz e para desenvolver a economia durante a destruição de tanta infra-estrutura vital, tanto na cidade como no campo”.

O projeto para os feridos de guerra

Uma das emergências absolutas, apontou Sadovy, é “cuidar dos feridos, tentando salvar suas vidas”. Por isso, as autoridades de Lviv também apresentaram ao Papa o projeto “Unbroken” (ininterrupto). O prefeito o descreveu da seguinte forma: “é um centro de reabilitação médica multifuncional para o apoio e cuidado de vítimas de guerra em toda a Ucrânia: muitas são crianças, jovens, que foram gravemente feridos nos bombardeios. Infelizmente, em algumas situações, as amputações têm que ser feitas e nem todos poderão viver uma vida plena novamente”.

Unbroken “é um complexo para a produção de próteses e também um centro residencial para planejar uma reintegração na vida social e profissional para aqueles que foram vítimas das bombas. Em particular, para as crianças feridas e suas famílias, existe um espaço adaptado às suas necessidades”. Mas e por que o nome “ininterrupto”? Porque a vida do povo, insistiu o prefeito, “não pode ser quebrada por esta invasão impiedosa. Porque ininterrupto é o fio da esperança para os ucranianos, mesmo aqueles que perderam família e amigos, que estão feridos ou perderam suas casas, perderam tudo”. Mas “ininterrupta é também a oração do Papa pelo nosso povo. Sim, ininterrupta é a voz do Pontífice chamando pela paz”.

Fonte: Vatican News

Leia mais
Em carta, Papa diz que partilha da dor do povo ucraniano afetado pela guerra

Deixe um comentário