Papa: o racismo é um vírus que ao invés de desaparecer, se esconde

Por ocasião do Dia Internacional para a eliminação da discriminação racial, o Pontífice em um tuíte enfatiza que “as expressões de racismo renovam em nós a vergonha”.

Conferência mundial sobre o xenofobia, racismo e nacionalismo no contexto das migrações mundial em 2018 (foto: Vatican Media)

“O racismo é um vírus que se transforma facilmente e, em vez de desaparecer, se esconde, mas está sempre à espreita. As manifestações de racismo renovam em nós a vergonha, demonstrando que os progressos da sociedade não estão assegurados de uma vez por todas”.

Isto é o que o Papa Francisco escreve em seu perfil no twitter neste domingo, quando se celebra o Dia internacional para a eliminação da discriminação racial.

DIA 21 DE MARÇO

Este Dia internacional é comemorado todos os anos em 21 de março. Esta data foi escolhida para comemorar, quando em 21 de março de 1960, na África do Sul, no auge do apartheid, a polícia disparou contra um grupo de manifestantes negros, matando sessenta e nove e ferindo 180.

Um episódio dramático conhecido como o massacre de Sharpeville. Ao proclamar este Dia internacional em 1966, com a Resolução 2142, a Assembleia Geral da ONU enfatizou a necessidade de maiores esforços para eliminar todas as formas de discriminação racial.

Fonte: Vatican News

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter