Rádio ajuda a informar e evangelizar católicos das áreas rurais do país

Em toda a Arquidiocese de Blantyre e áreas circundantes são mais de 2,5 milhões de ouvintes cristãos

Dom Thomas Luke Msusa, Arcebispo de Blantyre, com funcionários da rádio Kuwala FM Foto: Catholic News Service

Enquanto trabalhava na plantação de tomates de sua fazenda em Blantyre, um distrito no sul do Malawi, Peter Kamwendo ouvia um programa da rádio Kuwala FM, destinado a aumentar a conscientização sobre COVID-19 e tolerância religiosa.

Kamwendo, um paroquiano em Chikwawa, disse que a estação de rádio católica permite que ele descubra o que está acontecendo nas comunidades locais e em todo o país sem ter que navegar na internet em seu smartphone. Ele também afirmou que a estação garante que os paroquianos sejam bem versados nos ensinamentos da Igreja.

“Estamos gostando dos programas porque eles entretêm e são educativos”, disse o homem de 45 anos em chichewa, seu idioma. “A mensagem mais importante, porém, é a de Jesus Cristo. A Igreja está espalhando a Palavra de Deus por meio da estação de rádio, e a mensagem está transformando nossas vidas”, concluiu Kamwendo.

ALCANCE ESPIRITUAL

Os sentimentos de Kamwendo são compartilhados em toda a Arquidiocese de Blantyre e áreas circundantes de mais de 2,5 milhões de ouvintes cristãos. A estação de rádio recém-fundada serve como ferramenta de evangelização com foco particular em programas de Catequese, desafios sociais e pastorais.

Padre Frank Mwinganyama, Coordenador de Comunicações da Arquidiocese de Blantyre, disse que a rádio também visa a beneficiar e educar os jovens, que precisam de boa moral e orientação espiritual. Durante a crise de COVID-19, a rádio envia mensagens de prevenção às comunidades e também oferece programas para desenvolver os dons espirituais dos jovens, bem como estudos bíblicos e discussões interativas.

Ele informou, ainda, que esta é a quarta estação de rádio católica regional do Malawi. As comunidades rurais são particularmente gratas à Igreja por ter escolhido transmitir programas nos idiomas de cada região, uma vez que outras estações de rádio do país transmitem em inglês, o que não é compreensível em muitas comunidades rurais.

SOB MEDIDA

O Padre Alfred Chaima, da Arquidiocese de Blantyre, disse que a Kuwala FM, cujo nome significa “luz” na língua chichewa, usa dialetos locais para garantir que os paroquianos tenham um relacionamento crescente com Jesus, uma vez que nem todos na área podem participar presencialmente das missas.

De acordo com os dados do censo de 2018, 77,3% dos quase 18 milhões de habitantes do país são cristãos. Os católicos representam 17,2% da população, ou seja, 3 milhões de pessoas.

“Queremos garantir que os nossos paroquianos estejam profundamente enraizados em Jesus Cristo por meio de nossa nova estação de rádio”, afirmou Padre Alfred. “Queremos simplificar o ensino da Catequese para os paroquianos e usar a nova estação como uma plataforma para que nossa liderança leiga receba treinamento adicional para sua formação espiritual.”

Padre Alfred informou que os católicos muitas vezes procuram os líderes leigos para obter instrução e direção espiritual.

“Queremos proporcionar várias formações e treinamentos a nossos funcionários leigos e orientá-los espiritualmente porque, com base na pesquisa, eles estão envolvidos nos momentos de oração, aconselham os jovens, cuidam das crianças em suas áreas e lideram os ministérios que envolvem outras pessoas na formação cristã”, concluiu ele.

RECONHECIMENTO

Mphatso Phiri, um ancião em Chirimba, admitiu que os programas transmitidos na nova estação de rádio permitiram que ele recebesse e entendesse a poderosa mensagem de Cristo divulgada pelos líderes de sua comunidade, além de outros tópicos importantes, especialmente sobre a COVID-19.

Moradores da região, especialmente católicos, compartilham suas opiniões sobre diversos temas mediante ligações telefônicas para a estação de rádio, confirmou ele.

“Aprendi muito sobre como posso proteger a mim e minha família do vírus”, disse Phiri. “Não tinha muitas informações quando a pandemia nos atingiu. Agora, no entanto, uso minha máscara corretamente em áreas públicas e certifico-me de limitar a participação em reuniões como funerais, casamentos e festas.”

Fonte: Catholic News Service

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter