59ª Assembleia Geral e Campanha da Fraternidade 2023 são abordados em reunião do Conselho Episcopal Pastoral da CNBB

A 59ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) foi um dos principais temas da manhã desta quarta-feira, 25 de maio, na reunião do Conselho Episcopal Pastoral (Consep). O encontro reúne a Presidência da entidade, os presidentes das Comissões Episcopais Pastorais, assessores e convidados.

Reprodução

O bispo auxiliar da arquidiocese do Rio de Janeiro (RJ) e secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella Amado, reforçou que o encontro deste ano trata-se de uma única assembleia em duas etapas: na primeira, em formato on-line, deu-se prioridade para os comunicados, para a antecipação de temas e conteúdos e para o discernimento.

Etapa presencial

Para a etapa presencial, de 29 de agosto a 2 de setembro, no Santuário Nacional de Aparecida, segundo o secretário-geral, os verbos “conviver, votar e rezar” serão priorizados. Os quatro temas principais são Estatuto, Missal, o Tema Central e Estudo nº 114. A previsão é de três sessões para encaminhamento de cada um dos temas. Dom Joel informou que apenas os informes indispensáveis serão acolhidos.

O secretário-geral pediu aos presidentes das Comissões que enviem os informes em arquivos para serem disponibilizados aos bispos. Ele também partilhou orientações sobre hospedagem e informou dos horários das atividades: a abertura da etapa presencial será com a missa, às 18h, no dia 29 de agosto, e o encerramento na sexta-feira, 2 de setembro, após a missa das 18h.

No dia 1º de setembro, quinta-feira, após o jantar, haverá uma “Sessão de Homenagem aos 70 anos da CNBB”.  A parte da manhã, no Centro de Convenções, terá um tempo mais longo. As tardes, no salão no subsolo da Basílica, serão dedicadas às reservadas.

Avaliação da etapa virtual

O bispo de Luziânia (GO) e presidente do Regional Centro-Oeste da CNBB, dom Waldemar Passini Dalbello, apresentou a avaliação da etapa online da 59ª Assembleia Geral. De acordo com ele, foram cerca de 225 questionário respondidos. A comissão responsável pelo processo solicitou que os bispos avaliassem como foi a condução dos temas (conteúdo, metodologia e tempo) apresentados na assembleia. No geral, os números de ótimo e bom foram predominantes em todos os pontos avaliados.

Os temas avaliados foram o relatório presidente; as análises de conjuntura eclesial e social; o tema central; atualização do estatuto canônico; gestão administrativa e financeira; Texto de Estudos nº 114 – animação Bíblica da pastoral; apresentação das Comissões; Eleições 2022; Campanha da Fraternidade; Fundo Nacional de Solidariedade e momentos orantes.

Fonte: CNBB

Deixe um comentário