Acervo de Dom Helder Câmara é tombado pelo governo de Pernambuco

Acervo de Dom Helder Câmara é tombado pelo governo de Pernambuco, Jornal O São Paulo
O arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido (à esquerda), participou da homologação do tombamento | Foto: Governo de Pernambuco

O acervo do Servo de Deus e um dos fundadores da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Helder Camara (1909-1999), foi tombado na sexta-feira (4), pelo Governo de Pernambuco. O ato reconhece a importância de dimensão estadual, nacional e internacional dos cerca de 210 mil itens que contam a história do arcebispo de Olinda e Recife entre 1964 e 1985.

É com muita alegria que estou nessa solenidade porque é o reconhecimento de uma pessoa que, além de bispo da Igreja Católica, tornou-se uma das pessoas mais importantes do mundo, na metade do século 20, em defesa da paz. A figura de dom Helder transcendeu os limites do Recife e se espalhou pelo mundo. Sua mensagem libertadora está hoje reconhecida como patrimônio do Estado”, agradeceu o diretor-executivo do Instituto Dom Helder Camara (IDHeC), Antônio Carlos Maranhão de Aguiar.

Constam como acervo, agora protegido por lei, páginas de documentos organizados como circulares, cartas, meditações, discursos, hemeroteca, além de livros publicados e multimídia, acrescido por inúmeros prêmios, homenagens e  condecorações por entidades nacionais e estrangeiras, registrando décadas de resistência e luta por direitos humanos. Todo o material encontra-se disponível para consulta no site da Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), e no Centro de Documentação Dom Helder Câmara, no Recife.

“O acervo legalmente tombado a partir de hoje é uma obra de valor inestimável que o povo de Pernambuco disponibiliza aos cidadãos de todas as nações. Que as lições de Dom Helder Camara nos ajudem a seguir lutando pela democracia, pela liberdade e pela justiça social”, afirmou o governador, Paulo Câmara.

O chefe do executivo local também explicou que uma parte do acervo já está totalmente digitalizada e a outra será encaminhada para passar pelo mesmo processo. “Uma comissão está responsável por acompanhar periodicamente o andamento dessa transição”, ressaltou.

Memorial e campanha social

A cerimônia que marcou o tombamento do material ocorreu às vésperas da reabertura do memorial do IDHeC. Depois de dois anos e meio fechado por causa da pandemia de covid-19 e por problemas estruturais, o local reabriu suas portas para visitação no sábado (5). O complexo é composto pela Igreja das Fronteiras, Casa-Museu, Exposição e Espaço Dom José Lamartine, na área central da capital pernambucana.

A cerimônia de reabertura marcou o lançamento da campanha “SOS Casa de Frei Francisco – Adote um adolescente”, uma das muitas obras sociais criadas por dom Helder. Por meio do projeto Construindo o Cidadão do Amanhã, a instituição oferece educação e encaminhamento profissional a 100 adolescentes de 12 a 17 anos.

Com informações do Regional Nordeste 2 da CNBB e Diário de Pernambuco

Deixe um comentário