‘Aquilo que na comunhão delinearmos seja levado a termo com paixão’

Exortou Dom Jaime Spengler, na missa de abertura da 61a Assembleia Geral da CNBB

Dom Jaime Spengler preside a Missa de Abertura da 61ª Assembleia Geral da CNBB
Thiago Leon/Santuário Nacional de Aparecida

Com missa no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, teve início na manhã da quarta-feira, 10, a 61a Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (AG CNBB), que prossegue até o dia 19.

A Eucaristia foi presidida por Dom Jaime Spengler, Arcebispo de Porto Alegre (RS) e Presidente da CNBB, tendo como concelebrantes os demais bispos da Presidência da entidade: Dom João Justino de Medeiros Silva, Arcebispo de Goiânia (GO) e primeiro Vice-presidente; Dom Paulo Jackson Nóbrega de Sousa, Arcebispo de Olinda e Recife (PE) e segundo Vice-presidente; e Dom Ricardo Hoerpers, Bispo Auxiliar de Brasília(DF) e secretário-geral da conferência.

Também participaram da missa os demais bispos do Brasil, o Cardeal Pietro Parolin, Secretário de Estado do Vaticano; e Dom Giambattista Diquattro, Núncio Apostólico no Brasil.

Na homilia, Dom Jaime recordou o grande amor de Deus pela humanidade, o mesmo que deve impulsionar as ações evangelizadoras da Igreja, no encontro com o próximo em suas diferentes realidades. Trata-se da perspectiva da Amizade Social, abordada na Campanha da Fraternidade deste ano, que, conforme recordou o Arcebispo de Porto Alegre, faz um chamado a construir pontes, abater muros, integrar a diversidade, promover a cultura do encontro e do diálogo, rejeitar a violência e fomentar a paz.

“A  missão [da Igreja] é muito nobre. Por isso, sugiro que não nos preocuparmos tanto nestes dias com a pauta, com a agenda, mas concentremos a nossa atenção no que se apresenta como urgências, e aquilo que na comunhão delinearmos seja levado a termo com paixão”, exortou, destacando, ainda que tamanha paixão, manifestada por Deus que “tanto amou mundo” é a força capaz de transformar ideias em utopias viáveis e também fazer com que os ministros ordenados, leigos e religiosos sejam “apaixonados pela causa do Evangelho, o Reino de Deus e sua justiça”.

Thiago Leon/Santuário Nacional de Aparecida

SESSÃO DE ABERTURA

Após a missa, a aconteceu a sessão de abertura da 61a AG CNBB, com saudações aos participantes feitas por Dom Jaime Spengler, pelo Secretário de Estado do Vaticano, pelo Núncio Apostólico do Brasil, por Dom Orlando Brandes, Arcebispo de Aparecida; pelo Padre Eduardo Catalfo, Reitor do Santuário; e pelo senhor Luís Carlos de Siqueira, prefeito de Aparecida.

Depois, a Presidência da entidade apresentou seu Relatório anual de atividades. Essa apresentação é determinada pelo Regimento da CNBB, reunindo os ações, agendas e compromissos do período compreendido entre a assembleia anterior e a deste ano.

No relatório, a Presidência também destacou uma breve síntese das ações desenvolvidas pelas Comissões Episcopais permanentes e algumas comissões especiais.

O relatório apresentado tem como destaque as principais atividades da Presidência da CNBB, no período entre maio de 2023 e abril de 2024, atualizando as atividades conforme os fins estatutários, em seis blocos: gestão eclesial, CNBB Solidariedade, Relações institucionais e governamentais, Pronunciamentos e visitas oficiais, Comissões Episcopais e Colégio Pio Brasileiro.

Além disso, o Bispo de Dori, em Burkina Faso, Dom Laurent Dabiré, fez um testemunho sobre a realidade da Igreja em seu país.

Ainda pela manhã, houve a coletiva de imprensa, com a participação de Dom Jaime e do Cardeal Parolin.

A partir das 16h, o Secretário de Estado do Vaticano irá pregar o retiro dos bispos, que prossegue até a quinta-feira, 11.

Adielson Agrelos e Vitória Holzbach

DOM ODILO: ‘PEÇO A ORAÇÃO DE TODOS VOCÊS PELA NOSSA ASSEMBLEIA’

No programa Encontro com o Pastor, da rádio 9 de Julho, na manhã da quarta-feira, 10, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, que está em Aparecida e participa da 61a AG CNBB, explicou que esta não se trata de uma assembleia de bispos, mas da CNBB como um organismo da Igreja.

O Arcebispo de São Paulo lembrou, ainda, que cada bispo tem responsabilidade pela diocese/arquidiocese em que está a frente, mas que todo o episcopado tem responsabilidade pela Igreja e pode auxiliar um bispo para que determinada diocese possa bem cumprir sua missão evangelizadora, algo especialmente necessário nas realidades mais pobres.  

“Eu peço a oração de todos vocês pela nossa assembleia. Rezem conosco e participem por meio das redes de televisão católica, que vão transmitir as missas diárias às 7h, bem como outros momentos como entrevistas, falas dos bispos, para, assim terem maior clareza mais sobre aquilo que a CNBB faz e do que os bispos fazem em suas dioceses. A assembleia da CNBB é um momento grande, bonito, a cada ano na vida da Igreja no Brasil”, concluiu.

(Com informações da CNBB)

guest
1 Comentário
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
WILMA FERREIRA SANTANA
WILMA FERREIRA SANTANA
1 mês atrás

ESTAREI EM ORAÇÃO!