Conselho Permanente da CNBB define formato da assembleia de 2022

Encontro do episcopado terá etapa virtual, em abril, e presencial no fim de agosto e começo de setembro do próximo ano

Reprodução

Entre os dias 20 e 21, o Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos dos Brasil (CNBB) esteve reunido de modo on-line. Participaram membros da presidência da Conferência, bispos referenciais das comissões episcopais pastorais, representantes dos conselhos episcopais regionais e de pastorais e organismos.

Alguns dos temas abordados foram o formato da 59ª Assembleia Geral da CNBB, análises de conjuntura social e eclesial, preocupação com as eleições de 2022, além de organização de eventos como a CF 2022, o Congresso Eucarístico Nacional, as Jornadas da Juventude e dos Pobres e as etapas do Sínodo de 2023.

Na abertura dos trabalhos, o Núncio Apostólico no Brasil, Dom Giambattista Diquattro, anunciou que, a partir do final do mês irá visitar as dioceses, especialmente para entregar o pálio aos novos arcebispos.

Na análise de conjuntura social, se destacou as diferentes crises no País – econômica, política, hídrica, ambiental e de violação de direitos. Já sobre a conjuntura eclesial, o ressalte foi sobre o tema da Animação Bíblica da Pastoral. Houve menções positivas às muitas iniciativas de formação bíblica existentes e que podem ser potencializadas com o uso das novas mídias e tecnologias. Também se incentivou o compartilhamento das boas experiências de cada uma das regiões do País e o crescimento de uma cultura missionária da Palavra, bem como da formação apropriada dos catequistas.

Ao longo da reunião também se definiu o formato da 59a Assembleia Geral da CNBB, que em 2022 será realizada em duas etapas: a primeira, totalmente virtual, entre os dias 25 e 29 de abril, com a discussão de assuntos de estudo, comunicações, análises de conjuntura e os temas que não exigem votações presenciais; a segunda etapa, de 29 de agosto a 2 de setembro, de modo presencial, quando serão priorizados os assuntos como a reformulação do Missal e a aprovação do novo estatuto da CNBB, que demandam votação.

Sobre o processo eleitoral de 2022, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, Presidente da CNBB, propôs ao conselho permanente o levantamento de sugestões, com vistas a amadurecer a atuação da entidade no contexto das eleições.

Os membros do Conselho Permanente levantaram as seguintes sugestões: não aceitar o proselitismo nas missas; implementar projetos formativos sobre as eleições, por meio de materiais impressos, vídeos, podcasts e cards para redes socais; identificar candidaturas/mandatos populares e coletivos para apoio; viabilizar uma formação às candidaturas do campo popular em parceria com a PUC-Minas; colaborar para identificar e prevenir a disseminação notícias falsas; cuidar para que os temas da defesa da vida não sejam apropriados de forma ideológica e partidária; fortalecer as escolas de Fé e Política; e avançar em diálogos com organizações sociais inspirados no conceito de “melhor política” expresso na Fratelli tutti e também em defesa da Casa Comum, expresso na Laudato si’.

Fonte: CNBB

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter