Guanellianos comemoram os 10 anos da canonização do ‘Apóstolo da Caridade’

Guanellianos comemoram os 10 anos da canonização do ‘Apóstolo da Caridade’
Luciney Martins/O SÃO PAULO

Membros das congregações religiosas Servos da Caridade (SdC) e Filhas de Santa Maria da Providência, além dos leigos da Associação dos Cooperadores Guanellianos, se reuniram no Recanto Nossa Senhora de Lourdes, no bairro Horto Florestal, na zona Norte, no domingo, 24, Dia Mundial das Missões, para celebrar o décimo aniversário da canonização de São Luís Guanella.

A Eucaristia foi presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, que agradeceu à família guanelliana a missão realizada em favor dos pobres, principalmente as crianças e adolescentes com deficiências.

Na homilia, Dom Odilo recordou que São Luís Guanella testemunhou a santidade já em vida com ações concretas no amor e no acolhimento aos irmãos, como no relato do Evangelho do dia (Mc 10,46-52), em que Jesus cura um cego.

O Arcebispo encorajou os guanellianos a permanecerem firmes na missão e desejou que todos continuem a testemunhar ao mundo o carisma que Deus lhes confiou na ação em prol dos excluídos da sociedade.

VOCAÇÃO

Luís Guanella (1842-1915) nasceu no vilarejo de Fracíscio, na província de Sondrio, no norte da Itália. Dos pais Lourenço e Maria Bianchi, aprendeu a fé católica, o amor à oração e a confiança na Divina Providência. Do pai, também herdou o caráter forte e tenaz, e da mãe, a suavidade e a compaixão para com os pobres.

Desde criança, juntamente com sua irmã Catarina – um ano mais velha que ele –, nas brincadeiras ensaiava atos de amor aos pobres, misturava água e terra nas fendas das rochas em forma de bacia e afirmava que, quando crescesse, serviria a sopa para saciar a fome das pessoas em situação de pobreza.

Aos 9 anos, após receber Jesus na Eucaristia e recolher-se em oração, ouviu uma voz que o chamava e lhe mostrava o que ele faria mais tarde pelos pobres. Em 1866, ordenou-se sacerdote e assumiu o espírito de pobreza, da perfeita alegria e de grande confiança em Deus. Em 1886, fundou a Congregação das Irmãs Filhas de Santa Maria da Providência e, em 1908, os Servos da Caridade.

‘PROFETA DA CARIDADE’

São Luís Guanella faleceu em 24 de outubro de 1915. Foi beatificado pelo Papa Paulo VI, em 1964, e canonizado pelo Papa Bento XVI, no dia 23 de outubro de 2011, que o declarou “Profeta da Caridade”.

Guanellianos comemoram os 10 anos da canonização do ‘Apóstolo da Caridade’
Luciney Martins/O SÃO PAULO

O milagre que permitiu sua canonização foi a intercessão a Deus para a cura do jovem William Glisson Junior, da Pensilvânia, Estados Unidos, a quem os médicos não deram chance de recuperação após sofrer, em 2002, um grave acidente enquanto patinava. Ficou em coma e os médicos fizeram cinco cirurgias, incluindo duas para unir partes de seu crânio. Três meses após o acidente, o jovem retomou sua vida sem sequelas.

EXTENSA MISSÃO

O carisma guanelliano é “revelar no mundo o amor providente e misericordioso de Deus Pai, num clima de família, promovendo de forma integral a pessoa, particularmente aquelas mais desprovidas, aplicando a pedagogia do amor”.

Os religiosos estão presentes em 23 países. Ao Brasil, chegaram em 1947, primeiramente ao Rio Grande do Sul e depois a outros estados: Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Mato Grosso e Pernambuco, além do Distrito Federal.

Na Arquidiocese de São Paulo, atuam na Paróquia Santa Cruz, na Região Santana, e desenvolvem um extenso trabalho social por meio da Associação Obras Sociais Santa Cruz (AOSSC), que visa a estimular a inclusão da pessoa com deficiência, promovendo sua dignidade, a igualdade e o clima de fraternidade no interior das famílias e dos grupos sociais.

A AOSSC compreende em sua maioria pessoas com deficiência e suas famílias, provenientes da zona Norte de São Paulo, com idade a partir de 7 anos, pertencentes à população de baixa renda e em situação de vulnerabilidade.

Compõem a AOSSC as entidades: Recanto Nossa Senhora de Lourdes (dimensão educacional), Núcleo de Apoio à Inclusão para Pessoas com Deficiência (NAIS) São Luís Guanella (dimensão social); o Centro para Crianças e Adolescentes Santa Terezinha (CCA) e o Centro Educacional Infantil (CEI) Dom Guanella.

CONFIANÇA NA PROVIDÊNCIA

Padre Odacir Lazaretti, Presidente da AOSSC, ressaltou que o fundador tinha como ideal de vida tornar o mundo mais justo e fraterno: “Sua vida foi um contínuo caminho de amor a Deus e à humanidade, dedicando-se, particularmente, a evidenciar a inclusão dos excluídos da sociedade no Reino de Deus”.

Guanellianos comemoram os 10 anos da canonização do ‘Apóstolo da Caridade’
Luciney Martins/O SÃO PAULO

A confiança na Divina Providência, a Eucaristia, a vida de oração, a caridade para com os pobres e sofredores, a paixão pastoral e a devoção a Nossa Senhora são virtudes do fundador que inspiram as obras sociais, até os dias atuais.

“O Fundador, no seu tempo, deu o testemunho de acolher e amar a todos os irmãos, de modo particular, aqueles com alguma deficiência. A Providência é uma virtude que orienta nossas ações”, disse o Sacerdote, destacando que as obras são mantidas, em parte, com parcerias com a Prefeitura de São Paulo, empresas e voluntários.

LEIGOS NA MISSÃO

Reginaldo Joaquim Veloso Junior, 70, e Iarilete dos Santos Veloso, 66, são cooperadores guanellianos há 20 anos e explicam que, como tal, têm a missão de “acolher, servir e promover toda pessoa em qualquer situação de pobreza, seja ela material, seja espiritual, em comunhão com as religiosas e os sacerdotes, animados pelo carisma do fundador, na construção de uma sociedade mais justa, fraterna e solidária”, enfatizaram.

Adriano Jesus Bastos dos Santos, 55, é engenheiro civil e atua como voluntário nas obras guanellianas. “É gratificante fazer parte desta obra. Contribuo com a minha experiência profissional nas necessidades e na captação de recursos para a manutenção das obras sociais”, afirmou.

Em agosto de 2020, durante a pandemia, o Padre Flávio Demolier, SdC, Pároco na Paróquia Santa Cruz, criou a Pastoral Solidariedade Guanelliana, que realiza ações em favor das pessoas em situação de rua, com a distribuição de refeições, roupas e cobertores, o que ajuda a proporcionar momentos de diálogo com os assistidos. A ação foi uma das contempladas com a Medalha São Paulo Apóstolo deste ano.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter