Igreja Ortodoxa no Brasil emite nota a respeito do candidato à Presidência, 'Padre Kelmon'

Na quarta-feira, 14, a Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia do Brasil, por meio de seu arcebispo, Dom Tito Paulo George Hanna, emitiu uma nota, publicada nos mais diversos meios de comunicação, a respeito do candidato à Presidência da República, Padre Kelmon Luís da Silva Souza. 

Reprodução das redes sociais do 'Padre Kelmon'

De acordo com a nota, o candidato não é membro da Igreja Ortodoxa. “Chegou ao nosso conhecimento que muitos cidadãos têm questionado membros da nossa igreja a respeito de um candidato à Presidência da República pelo PTB que se auto apresenta como Padre Kelmon, utilizando insígnias de nossa tradição, sobre a veracidade de seu vínculo à nossa Igreja”, afirma a nota. 

"Diante disso, esclarecemos que, em pleno respeito, mas também gozando da mesma liberdade de pensamento, consciência e religião prevista no 18º artigo da Declaração dos Direitos Humanos e no artigo 5º da Constituição Federal do Brasil, o referido candidato não é membro de nossa Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia do Brasil em nenhuma de suas paróquias, comunidades, missões ou obras sociais", diz o documento.

Kelmon se apresenta como sacerdote da Igreja Ortodoxa no Brasil, aparecendo em peças de campanha com vestimentas tradicionais da igreja. 

O agora presidenciável concorria como vice de Roberto Jefferson (PTB), mas obteve a cadeira de líder da chapa depois que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) barrou a candidatura do ex-deputado.

Ainda segundo o documento, o “padre” nunca foi seminarista ou membro do clero da Igreja em nenhum dos três graus da ordem, quer no Brasil ou em outro país. 

LEIA A NOTA NA ÍNTEGRA A SEGUIR

Reprodução da Internet

Com informações do Correio Brasiliense

42 comentários em “Igreja Ortodoxa no Brasil emite nota a respeito do candidato à Presidência, 'Padre Kelmon'”

  1. Tenho uma pós graduação em Ciência da Religião. E esse candidato a Presidente em situação nenhuma naquele debate confirmava ser um sacerdote, das religiões presente no Brasil.
    Seria bom nossas igrejas que sabem distinguir a fé da política partidária se manifesta.

    Responder
  2. tem algo muito errado nessa declaração, como bom cidadão já estou investigando. se a declaração está com data dia 14, pq só agora veio a tona? se ele não é padre, pq a igreja católica do Brasil não se posicionou no início da campanha a 43 dias atrás?

    Responder
    • Boa noite. A igreja católica não se pronunciou porque ele não faz parte da igreja católica apostólica Romana.

    • Só uma correção, não é Igreja "Católica". e sim Igreja Ortodoxa! tem muita diferença entre as duas!!.. vamos apurar os fatos e as entidades para não confundir!

Deixe um comentário