‘Irmãos de rua’ realizam ‘31º Dia de Luta’ por uma vida mais digna

Atos ocorreram na Praça da Sé, em São Paulo, também fazendo memória dos 18 anos do assassinato de 7 pessoas em situação de rua

Luciney Martins/O SÃO PAULO

“A rua não é nosso limite”. Com este lema, aconteceu na Praça da Sé, na sexta-feira, 19, o 31o Dia Latino Americano de Luta da População de Rua, no qual também se recordou o massacre acontecido na Sé, em 19 de agosto 2004, quando sete pessoas em situação de rua foram mortas e outras seis feridas.

A atividade teve o apoio da Pastoral do Povo da Rua da Arquidiocese de São Paulo. Houve momentos de oração e aos ‘irmãos da rua’ foram disponibilizados gratuitamente serviços médicos, assistenciais e de assistência jurídica.

HISTÓRICO

No dia 10 de maio de 1991 foi organizado o primeiro “Dia de Luta”, com uma caminhada do Brás até a Câmara Municipal de São Paulo, para reivindicar políticas públicas, com o tema “Lutamos todo dia por pão e moradia”. 

Anualmente, no evento são reivindicadas políticas públicas que atendam a população mais vulnerável, como a renda básica de cidadania, restaurantes comunitários, ofertas de trabalhos alternativos, cotas de vagas de emprego nas contratações públicas, formações e fortalecimento dos cadastros para os programas sociais. 

Além disso, pede-se a estruturação de programas de Segurança Alimentar e Nutricional, utilizando-se do já existente Fundo de Combate à Fome (FUNCAF). 

LUTAR POR POLÍTICAS PÚBLICAS

Em carta à população, o Fórum da Cidade de Defesa da População em Situação de Rua de São Paulo, junto a outros organismos, destaca que “no mês de agosto, as pessoas em situação de rua, os movimentos da população em situação de rua, as organizações brasileiras e latino-americanas se unem para se manifestar pela dignidade de quem tem que viver em situação de rua e dizer à toda sociedade que a rua não pode ser um lugar para pessoas morar.”

A carta ainda enfatiza que “é necessária a atuação do Poder Público, em todas as esferas federativas, e instâncias institucionais para reverter essa realidade”, garantindo moradia, segurança alimentar e nutricional, além de implementar frentes de trabalho e capacitação profissional. 

MASSACRE DA SÉ

No chamado “Massacre da Sé”, ocorrido em 19 de agosto de 2004, sete pessoas em situação de rua morreram espancadas na cabeça com pedaços de madeira e barras de ferro. 

O caso ficou conhecido internacionalmente e sua proporção e gravidade resultaram na criação do Movimento Nacional da População em Situação de Rua, que instituiu o 19 de agosto como o “Dia Latino Americano de Luta da População em Situação de Rua”

Deixe um comentário