Itens descartáveis são usados para a produção de lajotas e camisetas

Em Aquidauana (MS), garrafas de vidro e itens que iriam para o lixo são reciclados; iniciativa ajuda a preservar o meio ambiente e permite a geração de renda

foto: Arquivo Pessoal

Aí na sua casa ou estabelecimento o que se costuma fazer com as garrafas de refrigerantes, cervejas ou vinho? As bebidas engarrafadas são as preferidas da grande maioria, mas, para o ecossistema, elas representam um risco.

Reciclar essas garrafas acaba não sendo vantajoso para as empresas, e a decomposição total do vidro na natureza pode durar até um milhão de anos.

Pensando nisso, o Instituto Nacional de Proteção Ambiental (INPA), associação sem fins lucrativos, de Aquidauana, no Mato Grosso do Sul, promove projetos sociais de proteção e preservação ambiental e atua em várias frentes de ações, inclusive, a reciclagem de materiais descartados no meio ambiente.

Recentemente, o Instituto começou a reaproveitar as garrafas de vidro, itens que se acumulam nos lixões, transformando-os em lajotas.

RECICLAGEM

O projeto recolhe, diariamente, de 400 a 1,5 mil quilos de garrafas de vidro naquela cidade. Uma ação colaborativa dos membros do INPA, voluntários e catadores da cidade, gesto concreto que, além de colaborar com a natureza, arrecada fundos para a manutenção dos trabalhos em prol do meio ambiente, emprega e capacita os catadores da região.

Marcelo Torres Mendonça, 42, é bombeiro civil, presidente do INPA e coordenador do projeto de reciclagem das garrafas de vidro. Em entrevista ao O SÃO PAULO, ele falou sobre a iniciativa e sua responsabilidade social.

“Estamos no início do projeto, ainda de forma manual, mas certos de que estamos no caminho certo: cuidar do planeta é responsabilidade de todo cidadão”, afirmou, ressaltando que, toda ação colaborativa, hoje, é uma forma de cuidar do amanhã.

PRODUÇÃO

Após o recolhimento das garrafas, elas são quebradas e trituradas. Para a fabricação das lajotas são usados uma porção de cimento, areia e o vidro triturado. A mistura é colocada em uma fôrma que modela e dá consistência à lajota.

No processo de produção de cada lajota, utiliza-se de 300 a 400 garrafas de vidro descartadas.

O coordenador enfatizou que o processo de fabricação das lajotas ainda é manual, e que a meta é produzi-las e vendê-las para levantar fundos e, entre as ações, comprar o maquinário para agregar na produção.

O objetivo do Instituto é destinar as lajotas, a custo acessível, para a construção de casas, confecção de artefatos artesanais e abranger a construção civil da cidade, da região e expandir para o País.

O coordenador destacou que o vidro triturado substitui o granilite (pedra brita). “A substituição mantém a mesma durabilidade da lajota normal e, sobretudo, contribui para a diminuição da degradação ambiental frente à extração das britas”, disse.

foto: Arquivo Pessoal

FONTE DE RENDA

O dinheiro arrecadado com a venda das lajotas é revertido em renda às pessoas que trabalham na coleta desses resíduos e na manutenção dos projetos do Instituto.

“Com a aquisição dessas lajotas, a pessoa não só colabora com a natureza, como também no sustento de muitas famílias atendidas pelo INPA de Aquidauana”, enfatizou Mendonça.

O conhecimento na área de proteção ambiental despertou em Mendonça a vontade de colaborar, de alguma forma, com o cuidado ambiental da cidade onde mora, que é turística, considerada o Portal do Pantanal, e promover renda a partir dos descartáveis.

“Cuidar e promover ações de proteção ambiental é a nossa missão”, ressaltou, destacando que a instituição é pioneira no recolhimento e destinação das garrafas de vidro no ramo da produção de lajotas, na região.

Mendonça destacou, também, que a conscientização da população é muito importante na execução do projeto.

“A educação ambiental nas escolas e nas famílias proporciona a percepção das pessoas de não jogar as garrafas no lixo e, assim, dar um destino correto e sustentável ao vidro, além de preservar a nossa casa comum”, explicou.

GARRAFAS PET EM CAMISETAS

Outra ação em andamento no INPA de Aquidauana é a produção de camisetas, a partir de garrafa pet.

Com o reaproveitamento das garrafas plásticas, é possível confeccionar, além das camisetas, uniformes, calças jeans, bermudas entre outros itens.

Mendonça salientou que o Instituto estabeleceu uma parceria com a prefeitura da cidade para a confecção dos uniformes escolares.

“Junto com as escolas municipais da cidade, o projeto visa a impactar ainda mais! A aquisição dos uniformes pelos alunos onera muito [o orçamento familiar], e com as camisetas a partir da reciclagem, o custo sai basicamente pela metade do preço”, ponderou.

O coordenador mencionou que cada camisa utiliza material equivalente a oito garrafas pet descartadas.

“A confecção é 50% reciclável e leva a mesma quantidade de algodão. Além de sustentável, a qualidade é a mesma das demais confecções”, afirmou Marcelo, contando que são essas ações que permitem o descarte do material de maneira que não agrida a natureza e ainda colabora com a instituição.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter