Noilton fotografa a vida simples no sertão baiano e compartilha boas ações

Por meio do dinheiro obtido com a venda das imagens, o fotógrafo já construiu 32 casas, distribui milhares de cestas básicas e gera oportunidades a famílias carentes

Noilton Pereira de Lacerda

Noilton Pereira de Lacerda, 49, é natural de Ruy Barbosa, cidade localizada na Chapada Diamantina, no sertão da Bahia, com aproximadamente 30 mil habitantes e distante 320 quilômetros de Salvador, capital do estado.

Autodidata, radialista e fotógrafo, ele conhece bem a realidade enfrentada por seu povo: o contexto sertanejo e a pobreza de muitas famílias espalhadas pelo sertão baiano.

O olhar apurado, a sensibilidade e o desejo de ajudar a quem mais precisa despertaram em Noilton o voluntariado, com o intuito de transformar vidas, mostrar ao mundo a realidade sofrida do povo que fica à margem e sofre com o abandono social.

FOTOGRAFAR O COTIDIANO

São dez anos de dedicação e ajuda ao próximo a partir do gesto de fotografar o cotidiano do povo. Nunca fez cursos de Fotografia, mas tem um grande mestre inspirador: o renomado fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado.

“Eu descobri que tinha um fotógrafo dentro de mim depois de fotografar com o celular um pôr do sol”, recordou. Daí em diante, ele não parou mais: conseguiu uma máquina semiprofissional e, em seguida, ganhou uma câmera profissional, ao participar de um programa de televisão.

As famílias carentes, as pessoas idosas, as crianças, os casebres de taipa, o povo humilde e apegado à fé, a paisagem do sertão são o foco de suas fotografias, que ultrapassam o óbvio e captam sentimento, verdade e esperança em cada rosto ou cenário clicado, como pode ser visto na imagem acima.

“A fotografia me permitiu derrubar muitas barreiras e abrir novas fronteiras. Passei, a partir de uma inquietude, a registrar a vida dessa gente simples – que vive em casas de barro, de chão batido, sem energia elétrica, sem água encanada – sem recursos, abandonadas”, contou.

Arquivo pessoal

FLASHES QUE TRANSFORMAM

Por meio das redes sociais, as fotos ganham o mundo e financiam o projeto social “Sertão Forte”. O dinheiro da venda das imagens é revertido para as pessoas carentes da região por meio da construção de casas e doação de cestas básicas, material escolar, roupas, brinquedos e móveis.

“Cada foto vendida representa uma família carente alimentada; esse dinheiro é uma nova esperança para quem necessita de uma moradia digna. A escolha dos beneficiados se dá a partir do grau de necessidade. A zona rural é bastante castigada pela seca e pela situação extrema de pobreza”, enfatizou o fotógrafo, que eterniza momentos, memórias e constrói uma história, permeada de esperança e dignidade.

O valor de cada foto é o equivalente a uma cesta básica, que é repassada diretamente às famílias fotografadas. Noilton também faz “vaquinhas on-line” para angariar fundos para construir as casas.

No total, Noilton e suas fotografias já beneficiaram 32 famílias com a casa própria; no momento, 20 famílias estão cadastradas para receber mensalmente cestas básicas, e outras 500 famílias também são beneficiadas mensalmente com as cestas.

REALIZANDO SONHOS

Maria Neide Silva Santos, 50, é lavradora, moradora da zona rural de Ruy Barbosa. Ela vivia com o companheiro e seis filhos em uma casa de taipa, de um único cômodo. A renda familiar provém de programas assistenciais do Governo Federal.

“Recebo R$ 400 do Bolsa Família e todos os meses o ‘anjo’ Noilton traz uma cesta básica”, disse Maria Neide, recordando que, há três anos, foi uma das contempladas com a construção da casa.

“Meu sonho era ter a minha casa própria, com sala, quarto, banheiro, um lugar para chamar de lar”, falou, contando que a casa que ganhou tem três quartos, sala, cozinha e banheiro. “Noilton é uma bênção. Passa pelo sertão, em sua moto, realizando sonhos e renovando a esperança”, finalizou.

ESCOLA DE APRENDIZADO

A dimensão social do fotógrafo vai além do que possa se pensar como assistencialismo, pois visa a proporcionar melhor qualidade de vida e, sobretudo, criar oportunidades de trabalho. “Oin tuito não é só a doação de uma moradia, de cestas básicas, mas de promover a sustentabilidade e dignidade para que essas pessoas possam se autossustentar”, disse, ressaltando que o projeto inclui a aquisição do terreno, a construção e o mobiliar a casa.

Os beneficiários participam do processo de construção delas. “A ideia é envolver e mostrar que a participação é imprescindível e que nada vem fácil. Por exemplo, os homens ajudam na obra, que é, também, uma escola de aprendizado. O intuito é formar profissionais, e muitos dos que foram contemplados aprenderam o ofício de pedreiro, servente e ajudante nas obras das suas próprias casas”, disse o idealizador.

“Hoje, há oito homens que são os pedreiros que colaboram nas obras e sustentam suas famílias. É preciso dar o pão, mas é de fundamental importância ensinar e abrir oportunidades de trabalho”, reforçou.

OPORTUNIDADE DE TRABALHO

Lucas dos Santos Oliveira, 23, foi fotografado por Noilton e, com o dinheiro da venda da sua foto e a de sua irmã Joceli, foi contemplado com uma casa nova. “Eu morava com meus pais e dez irmãos em uma casa de taipa. Quando chovia, desmoronava e molhava o pouco que tínhamos”, relembrou o jovem, que hoje mora na nova casa construída com a ajuda do projeto social do fotográfo.

Oliveira colabora como ajudante de pedreiro na construção das casas: “Aprendi a função que hoje traz sustento para minha família”, disse o jovem, que está construindo sua casa, onde vai morar, em breve, com a esposa.

SONHOS

O fotógrafo tem muitos sonhos, dentre os quais a consolidação da agricultura familiar como um recurso para as famílias gerarem renda e sustento próprio. “A terra é fértil e produz, mas essas pessoas precisam de incentivo e apoio”, afirmou. Outro grande sonho é publicar um livro com suas fotografias e continuar ajudando a quem precisa.

“É gratificante ver a reação das pessoas ao receber a casa ou uma cesta básica. Emocionante realizar o sonho das crianças: um brinquedo, um bolo de aniversário, uma bicicleta; são sonhos que se fundem: eles, ao receberem, e eu em doar o pouco que consigo, graças à generosidade de tantas pessoas que acreditam no meu trabalho social”, finalizou.

Suas fotografias impressionam, e quem quiser conhecer e adquirir uma foto é só acessar as redes sociais do fotógrafo.

CONHEÇA E COLABORE: @noiltonpereiraoficial

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter