Pela primeira vez, Dia Nacional da Filantropia é comemorado no Brasil

Instituída em dezembro de 2019, data pretende valorizar a atuação de entidades do terceiro setor

Reprodução da Internet

Nessa terça-feira, 20, é comemorado pela primeira vez no Brasil o Dia Nacional da Filantropia. A data foi criada pela Lei nº 13.925, assinada pelo Presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), no dia 4 de dezembro de 2019.

O projeto de lei dos deputados federais Antonio Brito (PSD-BA) e Eduardo Barbosa (PSDB-MG) tem como proposta valorizar e motivar que os setores empresariais, governo e sociedade civil desenvolvam e apoiem ações solidárias em parceria com as instituições filantrópicas.

De origem grega, a palavra filantropia significa “amor à humanidade”. A expressão é verbalizada por meio da ajuda ao próximo feita por pessoas e entidades de forma altruísta, com o objetivo de garantir o direito à educação, saúde e assistência social.

LEIA TAMBÉM

O que a COVID-19 evidencia na Fratelli tutti?

CELEBRAÇÃO

De acordo com Fórum Nacional das Instituições Filantrópicas (FONIF), as celebrações pela data dividem-se três eixos: conscientização sobre a filantropia, voluntariado e mobilização para divulgação e transparência.

Durante uma live celebrativa com representantes de entidades filantrópicas, realizada na manhã de hoje, o presidente da FONIF, Custódio Pereira, definiu a data como “uma forma singela e simples de reconhecermos o enorme trabalho que as mais de 11 mil instituições fazem pelo Brasil”. Ele explicou, ainda, que este é um setor que não distribui lucro, resultados e patrimônio, mas que emprega 2,3 milhões de pessoas no País.

Também participaram os autores do projeto de lei. O deputado Eduardo Barbosa rememorou que a proposta foi inspirada para “chamar a atenção da sociedade e daqueles que não estão envolvidos diretamente no trabalho que as entidades e associações exercem no dia a dia e entender que elas são primordiais na construção de políticas públicas”.

Antonio Brito disse considerar este um dia histórico, pois, é marcada pela mobilização de entidades e representantes políticos em favor da filantropia, iniciada há 30 anos, com a criação do Conselho Nacional de Assistência Social.

Assista a live completa

EM TEMPOS DE COVID-19

Durante a pandemia do novo coronavírus, a Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR) lançou em 31 de março, o Monitor das Doações da COVID-19, que disponibiliza os números das doações de empresas, fundações, indivíduos, ou por campanhas de crowdfunding em todo o País.

O site, que é atualizado duas vezes por semana, aponta que até o dia 18 de outubro, R$ 6.451.255.230 foram doados em resposta à COVID-19. Destes, o setor financeiro foi o que mais colaborou e a cidade de São Paulo foi a mais beneficiada.

Segundo o monitor, R$ 17.515.666 foram arrecadados por meio de lives realizadas nas redes sociais.

A contribuição em dinheiro soma 60% dos recursos angariados e destinados, principalmente, para ações na área da saúde (74%) e assistência social (19%).

Outros dados podem ser acessados no site. 

Com informações: Associação Brasileira de Captadores de Recursos, Fórum Nacional das Instituições Filantrópicas e Jornal Extra

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter