Pesquisadores criam plataforma para o distanciamento social ideal em ambientes fechados

Em meio à primeira onda da pandemia de COVID-19, em maio de 2020, pesquisadores do Instituto de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal de São Paulo (ICT/Unifesp), da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e Instituto Federal de São Paulo (IFSP) uniram conhecimentos para criar um sistema que facilitasse a tarefa dos gestores escolares e professores em manter o distanciamento social dos estudantes nas salas de aula das escolas.

Pouco a pouco, o grupo de 12 pesquisadores desenvolveu a plataforma Sala Planejada (http://www.salaplanejada.unifesp.br), on-line e de uso gratuito, que tem o apoio do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria, sediado no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da USP, em São Carlos (SP).

FÁCIL USABILIDADE

Mestre e doutor em Matemática Aplicada pela Unicamp, com pós-doutorado no Departamento de Computação da USP, o professor Luiz Felipe Bueno, um dos coordenadores da iniciativa, contou ao O SÃO PAULO que foi pensada uma interface de compreensível pela maioria das pessoas. “Pensamos em algo que fosse fácil e por isso colocamos mais no escopo de sala de aula para ficar bem intuitivo para quem precisar usar”, detalhou.

Ao acessar a plataforma, o usuário precisa informar as dimensões de largura e comprimento da sala e das carteiras, bem como o distanciamento desejado entre os estudantes. Deve ainda optar por uma simulação que leve em conta uma quantidade máxima de alunos na sala ou se já tendo uma quantidade estabelecida de estudantes deseja mantê-los com o maior distanciamento possível. Os cálculos são feitos automaticamente pelo algoritmo da plataforma, levando também em consideração se as carteiras terão posicionamento fixo, em fileiras ou não, ou se poderão ser movidas.

“Matematicamente, estamos apontando como os ambientes podem se tornar mais seguros diante de protocolos pré-estabelecidos pelas autoridades sanitárias e que são essenciais para a proteção da população e minimizar os impactos do contágio da doença”, prosseguiu o pesquisador.

NO ENEM E NAS ESCOLAS CARIOCAS

De acordo com Bueno, mais de 15 mil layouts já foram simulados diretamente na plataforma Sala Planejada, sem contar o uso mais significativo, que se deu na edição de 2021 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), quando o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que organiza a prova, fez uso da plataforma para estabelecer o distanciamento ideal entre as carteiras nas salas.

“Em 2021, o Inep usou a nossa ferramenta, fez um pedido à parte para este uso, e nos deram um retorno muito positivo de que a plataforma ajudou bastante para evitar salas super ocupadas como aconteceu na aplicação da prova do ano anterior”, detalhou Bueno.

A plataforma Sala Planejada também foi muito acessada por diretores e professores de escolas da rede municipal de ensino do Rio de Janeiro para que pensassem a disposição das salas na retomada das aulas presenciais. “Lá do Rio de Janeiro vieram muitos e-mails para pedidos de esclarecimentos, de como funcionava a plataforma. Muitos professores de lá procuraram a nossa equipe com dúvidas e conseguimos esclarecê-las”.

OUTRAS POSSIBILIDADES

A plataforma também é capaz de simular a disposição dos ambientes fechados, considerando obstáculos que neles existam, como portas, pilastras ou escadas.

“Além das coisas que é possível se calcular no site, temos mais ferramentas nessa plataforma. Uma das possibilidades é a de simular que há uma pilastra no ambiente ou outros objetos de posicionamento fixo, como caixas, guichê de atendimento, churrasqueiras, mas essas opções não estão disponíveis on-line, a fim de não complicar o entendimento de quem é leigo no assunto. Essas outras possibilidades nós já utilizamos, por exemplo, para planejar a volta às aulas aqui nos nossos laboratórios do Instituto de Ciência e Tecnologia da Unifesp”, contou Bueno.

No próprio site do projeto, é ressaltado que embora o foco seja voltado para o planejamento de salas de aulas, “os recursos desenvolvidos podem ser utilizados em vários outros contextos. Por exemplo, a disposição de assentos em anfiteatros e estádios, mesas em restaurantes, cadeiras em salas de espera de hospitais, entre outros”.

O professor Luiz Felipe Bueno comento sobre um destes usos a que a equipe de pesquisadores teve conhecimento: “Obtivemos um comunicado da Petrobrás, nos dizendo que o uso do plataforma Sala Planejada os ajudou a pensar os espaços”.

“É uma satisfação ver o exemplo concreto de Matemática como ciência básica ser usada como ciência aplicada. O site foi usado em 35 países, recebemos respostas de pessoas do exterior, falando que usaram a plataforma, a maioria no contexto de educação”, concluiu.

Deixe um comentário