Vacinação contra a COVID-19: Brasil recebe 527 mil novas doses de vacina da Pfizer

Lotes, procedentes dos Estados Unidos, chegam nesta quinta a Campinas

Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde recebeu, na quinta-feira, 3, o último de três lotes, vindos de Miami, nos Estados Unidos, com doses da vacina contra a COVID-19 da Pfizer/BioNTech. O lote, que chega ao Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), tem 527 mil doses. Somadas às outras remessas, de 936 mil doses cada, que chegaram na terça-feira, dia 1º e quarta-feira, 2, serão mais 2,3 milhões de doses nesta semana.

Dois contratos firmados entre o governo federal e a farmacêutica vão garantir 200 milhões de doses da vacina até o fim do ano. Segundo o Ministério da Saúde, nesta semana o Brasil atingiu a marca de mais de 100 milhões de doses de vacinas dos laboratórios contratados, distribuídas ao país pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Ritmo de vacinação

De acordo com levantamentos de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde, até às 20h da quarta-feira, 2, um total de 47.026.256 pessoas já receberam a 1a dose da vacina contra a COVID-19, o que representa 22,21% da população brasileira.

Já a 2a dose foi aplicada em 22.631.020 pessoas (10,69% da população), num total de mais de 69.657.276 pessoas em todos os estados e no Distrito Federal.

A imunização em São Paulo        

Até às 20h da quarta-feira, 2, um total de 11.895.666 pessoas já tinham recebido a 1a dose da vacina contra a COVID-19 no estado de São Paulo. Já a 2a dose foi aplicada em 5.792.164 milhões de pessoas no território paulista.

O Governo de São Paulo iniciou na quarta-feira, 2, a vacinação contra COVID-19 para pessoas com comorbidades e deficiências permanentes com idade entre 30 a 39 anos. Este público totaliza 1,2 milhão de pessoas que possuem doenças crônicas e deficientes contemplados com o Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC).

Na ocasião em que comparecer ao posto de saúde, qualquer pessoa com comorbidades e que faz parte das faixas etárias já anunciadas deve apresentar comprovante da condição de risco por meio de exames, receitas, relatório ou prescrição médica. Os cadastros previamente existentes em Unidades Básicas de Saúde (UBS) também podem ser utilizados.

Já as pessoas com deficiência permanente precisam apresentar o comprovante do recebimento do Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC).

LISTA DE COMORBIDADES
– Insuficiência cardíaca
– Cor-pulmonale e hipertensão pulmon
– Cardiopatia hipertensiva
– Síndrome coronariana
– Valvopatias
– Miocardiopatias e pericardiopatias
– Doença da aorta, dos grandes vasos e fístolas arteriovenosas
– Arritmias cardíacas
– Cardiopatias congênitas no adulto
– Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados
– Diabete mellitus
– Pneumopatias crônicas graves
– Hipertensão arterial resistente
– Hipertensão arterial estágio 3
– Hipertensão estágios 1 e 2 com lesão de órgãos alvos
– Doença cerebrovascular
– Doença renal crônica
– Imunossuprimidos
– Anemia falciforme
– Obesidade mórbida

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter