Vacinação contra a COVID-19: Brasil receberá 2,3 milhões de doses da Pfizer até quinta-feira

Na capital paulista, na quarta-feira, 9, profissionais da educação da cidade de São Paulo poderão se vacinar contra a covid-19

Ministério da Saúde

Uma remessa de 527 mil doses da vacina contra a COVID-19 da Pfizer/BioNTech desembarcou, na noite da terça-feira, 8, no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, São Paulo. O lote faz parte de um total de 2,3 milhões de imunizantes do laboratório que serão entregues ao Ministério da Saúde até o final desta semana, segundo informações da pasta.

A previsão do ministério é que os outros dois lotes, com 936 mil doses cada um, cheguem na quarta-feira, 9, e na quinta-feira, 10. Até o momento, mais de 5,9 milhões de doses da vacina da Pfizer foram distribuídas aos estados e ao Distrito Federal.

De acordo com o planejamento do Ministério da Saúde, deverão ser entregues no mês de junho mais de 12 milhões de doses da vacina da Pfizer. Os dois contratos fechados com a farmacêutica preveem um total de 200 milhões de doses até o fim deste ano.

Ritmo de vacinação

De acordo com levantamentos de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde, até às 23h da terça-feira, 8, um total de 50.953.709 pessoas já receberam a 1a  dose da vacina contra a COVID-19, o que representa 24,06% da população brasileira.

Já a 2a dose foi aplicada em 23.303.559 pessoas (11% da população), num total de mais de 74.257.268 pessoas em todos os estados e no Distrito Federal.

A imunização em São Paulo     

Até às 23h da terça-feira, 8, um total de 12.583.239 pessoas já tinham recebido a 1a  dose da vacina contra a COVID-19 no estado de São Paulo. Já a 2a dose foi aplicada em 5.908.850 milhões de pessoas no território paulista.

Desde a segunda-feira, 7, podem receber a primeira dose do imunizante mulheres que estão amamentando (lactantes) com comorbidades acima de 18 anos; gestantes e puérperas (mulheres que deram à luz até 45 dias após o parto), acima de 18 anos, sem comorbidade; pessoas com deficiência permanente inscritas no Benefício de Prestação Continuada (BPC), com 18 anos ou mais; e pessoas com comorbidades a partir de 18 anos.

A Secretaria Municipal da Saúde informou que a partir da quarta-feira, 9, profissionais da educação da cidade de São Paulo poderão se vacinar contra a COVID-19. A data foi antecipada para 17.750 pessoas da categoria.

Para tomar a 1a dose, é necessário apresentar um documento de identificação, preferencialmente o CPF, comprovante Vacina Já Educação com QR Code e comprovante de residência ou vínculo empregatício na cidade de São Paulo.

Quem faz parte do grupo deve procurar uma das 468 Unidades Básicas de Saúde (UBS) ou o Atendimento Médico Ambulatorial (AMA)/UBS Integradas, que são os equipamentos de saúde municipais. A imunização também é feita em dez mega postos, farmácias e drive-thru implantados na cidade.

LISTA DE COMORBIDADES
– Insuficiência cardíaca
– Cor-pulmonale e hipertensão pulmon
– Cardiopatia hipertensiva
– Síndrome coronariana
– Valvopatias
– Miocardiopatias e pericardiopatias
– Doença da aorta, dos grandes vasos e fístolas arteriovenosas
– Arritmias cardíacas
– Cardiopatias congênitas no adulto
– Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados
– Diabete mellitus
– Pneumopatias crônicas graves
– Hipertensão arterial resistente
– Hipertensão arterial estágio 3
– Hipertensão estágios 1 e 2 com lesão de órgãos alvos
– Doença cerebrovascular
– Doença renal crônica
– Imunossuprimidos
– Anemia falciforme
– Obesidade mórbida

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter