Agir em nome do Senhor

26º Domingo do Tempo Comum – 26/09/2021

Jesus deixou que um homem expulsasse demônios pois “ninguém faz milagres em Meu nome para logo falar mal de Mim” (Mc 9,39). Os exorcismos e milagres verdadeiros somente são possíveis pela fé em Cristo e com a força de Deus. Destruir a ação do maligno pertence somente a Ele: “Se é pelo dedo de Deus que Eu expulso demônios, então é chegado até vós o Seu Reino!” (Lc 11,20). Sustentado pelo Céu, aquele homem apenas fazia o bem.

Não era, portanto, um dos tantos charlatães que, ao longo da história, realizariam falsos milagres para confundir os fiéis. Não era um feiticeiro que causava fatos extraordinários mediante a ação do próprio demônio. Não era tampouco alguém que se opusesse a Jesus ou aos Apóstolos. Ele seguia o Mestre, mas não fazia parte do círculo de discípulos mais próximos. A Igreja, porém, devia crescer e incluir mais gente que o pequeno grupo inicial! Por isso, o Senhor disse: “Quem não é contra nós é a nosso favor” (Mc 9,40). 

Essa benevolência, contudo, deve ser lida à luz de outra passagem. Quando fariseus O acusaram de expulsar demônios pelo poder de satanás, Jesus declarou: “Quem não está conosco, está contra nós; quem não recolhe conosco, dispersa” (Mt 12,30). Portanto, Ele não dava autorização para a criação de seitas, fraturas e divisões na sua Igreja. Apenas mostrava que o apostolado não é um privilégio de poucos, nem deve ser controlado e restrito devido a preferências pessoais, antipatias ou – pior – ao desejo de mandar e controlar os demais. 

Jesus também declarou a necessidade de se discernir quem está realmente agindo em seu nome: “Guardai-vos dos falsos profetas, que vem a vós vestidos de ovelhas, mas por dentro são lobos ferozes!” (Mt 7,15). O critério para se saber quem age conforme Cristo é este: “Pelos frutos os conhecereis” (Mt 7,20). Os que falam coisas belas aparentam ser bonzinhos, mas não dão o bom fruto da fidelidade, não passam de mentirosos. Os que parecem até fazer milagres, mas não obedecem aos Mandamentos e à verdadeira fé, são, na verdade, lobos. 

Afinal, “nem todo aquele que Me diz ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos Céus, mas sim o que faz a vontade do Meu Pai” (Mt 7,21). Ainda que alguém faça aparentes “sinais”, não terá proveito algum se no seu coração, em lugar da fé e da caridade, houver apego ao dinheiro, impureza, heresia, politicagem e irreverência. Suas palavras adocicadas desmentidas pela má conduta servirão apenas para causar escândalo, levando os fiéis à dispersão, ao erro e ao pecado. Belas palavras e sinais até Judas realizou.

O Senhor prometeu recompensar a mínima obra boa, até a doação de um simples copo d’água. Recompensará ainda mais as grandes obras e prodígios feitos em Seu Nome! Não tolerará, porém, o escândalo. A quem ensinar o mal, confundir as consciências, semear a confusão, ostentar obras más com orgulho e corromper os mais jovens… “Melhor seria que fosse jogado no mar com uma pedra de moinho amarrada ao pescoço” (Mc 9,42).

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter