‘Brilhe a vossa luz diante dos homens’

Não possuímos “luz” própria. Poderemos “iluminar” o nosso entorno somente na medida em que refletirmos a caridade de Cristo. A “luz” que deve brilhar em nós não é uma simples “bondade” humana ou um misticismo vago, e sim a fé em Nosso Senhor manifestada concretamente por uma vida conforme os seus Mandamentos. 

A luz da fé é dada por Deus no Batismo e precisa ser alimentada pela oração e pela recepção dos Sacramentos. Por meio da fé, cremos em tudo o que o Senhor ensina por meio da Igreja. A fé nos abre o intelecto para as realidades sobrenaturais, para entender a vontade de Deus, desejar a vida eterna e enxergar a constante ação da Providência sobre o mundo. A fé nos faz ver os acontecimentos com o olhar de Cristo e notar os toques do Espírito Santo em nós. Pela fé, tornamo-nos filhos de Deus à semelhança de Jesus. 

Se a nossa vida for realmente iluminada pela fé, o modo de pensar e agir mudará. Uma fé viva faz com que deixemos de lado os pensamentos e obras maus. Por isso São Paulo diz aos recém- convertidos: “Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor. Procedei como filhos da luz. O fruto da luz é toda espécie de bondade, de justiça e de verdade” (Ef 5,8ss). Por isso, também, Deus recomenda por Isaías: “Reparte o pão com o faminto, acolhe em casa os pobres e peregrinos. Quando encontrares um nu, cobre-o, e não desprezes a tua carne. Então, brilhará tua luz como a aurora” (Is 58,7). 

O bem feito ao próximo, especialmente aos pobres, serve como um luzeiro em meio a um mundo de egoísmo e confusão. A caridade – que deve ser praticada, em primeiro lugar, em nossa própria família – é, além disso, um caminho de reparação e conversão de nossas faltas. A Escritura, afinal, ensina que “a caridade cobre uma multidão de pecados” (1Pd 4,8). E Isaías acrescenta: “Se acolheres de coração aberto o indigente e prestares todo o socorro ao necessitado, nascerá nas trevas a tua luz e tua vida obscura será como o meio-dia” (Is 58,10). É a isso que se refere o Senhor quando diz no Evangelho: “Que brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e louvem o vosso Pai que está nos céus” (Mt 5,16). 

Obviamente, Ele não nos propõe o exibicionismo ou a hipocrisia vaidosa de quem deseja parecer bom aos olhos dos demais. Afinal, o mesmo Jesus diz: “quando deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita, de modo que tua esmola fique escondida” (Mt 6,3s). O Senhor pede que, abraçando sinceramente a fé Nele, tenhamos uma vida de filhos de Deus. Esta será externada, naturalmente, por meio de boas obras. Afinal, “em Jesus Cristo, o que vale é a fé operante por meio da caridade” (Gl 5,6). 

O mundo, mais do que nunca, precisa de Deus. Embora fracos, somos os seus instrumentos para propagar a luz do Senhor. E, segundo São Paulo, Ele nos quer “irrepreensíveis e íntegros, filhos de Deus sem defeito, no meio de uma geração má e perversa, na qual brilhais como luzeiros no mundo” (Fl 2,15).

guest
1 Comentário
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Graça
Graça
3 meses atrás

Louvado seja Deus por nos tornar seus filhos através da fé em Cristo Jesus seu filho amado,o qual através dEle nos amou.

Que Deus nos ajude para sintamos a dor do outro como se dá nossa se tratasse, para que assim como a palavra nos recomenda possamos brilhar diante dos homens para o nosso Deus seja glorificado