Confira nossa versão impressa

‘Seguem-No, porque conhecem a Sua voz’ (Jo 10,4)

4º DOMINGO DA PÁSCOA 3 DE MAIO DE 2020

“Eu sou o bom Pastor” (Jo 10,14). Cristo nos apascenta: nos Evangelhos, mostra-nos a direção a seguir; na Eucaristia, alimenta-nos; cura-nos pela Confissão; dá-nos habitação em sua Igreja; libera-nos da morte por meio da Cruz. Por isso, Ele diz que “o bom Pastor dá a vida pelas ovelhas” (Jo 10,11).

As ovelhas se caracterizam por isto: “Conhecem a sua voz” (Jo 10,4). Esta é a condição para não nos perdermos Dele. A voz do bom Pastor não é algo meramente subjetivo. É audível mesmo em um mundo ruidoso e confuso. O seu reconhecimento, porém, requer instrução e atenção.

Em primeiro lugar, temos de conhecer seus ensinamentos. “Jesus viu uma grande multidão e teve compaixão, pois eram como ovelhas sem pastor. E começou a ensinar-lhes muitas coisas” (Mc 6,34). A doutrina revelada por Cristo impede-nos de criar um “Jesus” falso e subjetivo: “Ide, fazei todas as nações discípulos meus, batizando e ensinando a observar tudo quanto vos ordenei” (Mt 28,19s). Os ensinamentos do Mestre podem ser encontrados no Novo Testamento; na vida e escritos dos Santos; no Catecismo; no Magistério dos Papas; e na convivência com os católicos fiéis que Deus colocou em nossas vidas.

A instrução, no entanto, é apenas o primeiro passo. Além dela, é preciso que haja união com o Senhor. Isso acontece na Eucaristia. A missa e a Comunhão, contudo, devem ser continuamente preparadas por duas práticas fundamentais: a adoração e a oração mental. Adorando a Eucaristia, podemos intuir melhor o mistério da presença real de Cristo. Afastamos o risco de recebê-Lo de modo superficial ou sacrílego. Damo-nos cada vez mais conta do valor infinito da Hóstia Consagrada que é o Senhor. Por isso, diz Santo Agostinho: “Ninguém come esta Carne sem antes a adorar; pecaríamos se não a adorássemos”. Há uma relação intrínseca entre a celebração eucarística e a adoração.

Na oração mental, aprendemos a fazer silêncio para que Deus fale. Conversamos com Ele de coração a coração. Com os olhos fixos no sacrário ou no crucifixo, encontramos forças, conselho, alegria e paz. No princípio, fazemos a oração mental por pouco tempo, dez minutos. Falamos apenas daquilo que Ele já sabe: sobre a vida, sentimentos, acontecimentos, alegrias, medos, vitórias, pecados… Com um pouco mais de prática, recorremos à ajuda de alguma leitura: os Evangelhos ou algum bom livro como “Imitação de Cristo”, “A Prática do Amor a Jesus Cristo”, “Caminho”, “Filoteia” etc.

Então, meditamos em silêncio sobre alguma passagem ou tema. Lemos e silenciamos; lemos mais e falamos um pouco ao Senhor; lemos novamente e adoramos, pedimos, agradecemos, O desejamos… Silenciamos mais um pouco e, imperceptivelmente, começamos a “ouvir” o Senhor que confirma, adverte e conforta o coração. Podemos, então, aumentar o tempo de oração para 15, 20, 30 minutos, fazendo-a diariamente. A adoração e a oração mental permitem reconhecer, cada dia mais nitidamente, a voz do bom Pastor, e segui-Lo. “As ovelhas O seguem porque conhecem a sua voz.

Colunas relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Colunas

Um momento de revolta contra Deus tem perdão?

“Minha mãe sofreu um acidente e, em casa, estamos vivendo sérios problemas. Num momento de raiva, quando do acidente, eu disse que...

Abre tua mão ao teu irmão

Todos os anos, desde 1971, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) dedica o mês de setembro ao estudo e à...

Postura conservadora

Recentemente, circulou a notícia de que os organizadores do Oscar, a maior premiação às produções da indústria cinematográfica, deixaram o seguinte recado:...

A encíclica Humanae vitae, de São Paulo VI, nos dias de hoje

Na encíclica Humanae vitae, publicada em 1968, São Paulo VI tratou da paternidade responsável, da abstinência da...

Fala, Senhor, que teu servo escuta!

E m nossos tempos, subsiste ainda, em muitas pessoas, a ideia de que o hábito de ler a Bíblia “é coisa de...

Newsletter