Por que em nem todas as igrejas há uma cruz no centro da mesa do altar?

Esta é a dúvida do João Sebastião Nicolau. Meu irmão, normalmente, quando nas celebrações não há a procissão de entrada, deve ter um crucifixo no altar, aos olhos do padre. Quando é feita a procissão de entrada, a cruz entra na frente do celebrante e dos ministros e é colocada junto ao altar. Isso é importante, meu irmão. Afinal de contas, a missa é a renovação do sacrifício de Cristo de forma incruenta, isto é, sem derramamento de sangue.

Nas missas solenes, quando tem incenso, o padre inicia incensando o altar. A incensação começa pelo crucifixo. Os nossos irmãos evangélicos nos criticam por nosso profundo respeito a Jesus crucificado. Eles entendem que a cruz deveria estar vazia porque Jesus ressuscitou. Nós, porém, conservamos o crucifixo, para que não nos esqueçamos de que, com sua morte, Cristo nos deu vida.  

Às vezes, no altar, já há um grande crucifixo. E deve ser por isso que você não vê o crucifixo pequeno em cima do altar. Amemos Jesus, agradeçamos porque Ele na cruz pregou os nossos pecados. Naquele livro grande que o padre usa no altar, chamado “Missal”, tem a seguinte orientação:

Seja colocada sobre o altar, ou do lado dele, uma cruz com a imagem de Cristo crucificado, claramente visível para o povo reunido. Convém que esta cruz permaneça próxima do altar inclusive fora das celebrações litúrgicas, para recordar à mente dos fiéis a Paixão salvífica do Senhor.

Deixe um comentário