Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo

Deus criou o universo e inscreveu a lei moral natural em cada coração humano. Não há fato ou pensamento que se subtraia a Seus olhos. Ele nos dá liberdade neste mundo para que O sirvamos por amor. Não nos confere, porém, um “direito” a pecar. Devemos obedecer-Lhe, pois “o Senhor dos exércitos é o Rei da glória” (Sl 23,10). Deus é Rei! Dele procede todo bem e toda autoridade (Rm 13,1). 

No ventre da Virgem Maria, o Filho de Deus tornou-se também “Filho do Homem”. Jesus Cristo possui todas as prerrogativas divinas, inclusive a realeza. A Ele “foi dado o poder, a honra e o reino” (Dn 7,14). Ele julgará cada indivíduo e, no último dia, “todos os povos da terra serão reunidos diante Dele” (Mt 25,32) para o Juízo Universal. Os maus irão para o castigo eterno e os justos para a vida eterna (Mt 25,46), pois “o seu poder é um poder eterno que jamais passará, e seu reino jamais será destruído” (Dn 7,14). Cristo é o Juiz, Legislador e Rei supremo! 

Isso quer dizer que existe um Homem ao qual todos devemos obedecer. Indivíduos, famílias e nações devem se submeter a Ele. Pobres, ricos, jovens, velhos, poderosos, humildes, católicos ou não… Todos fomos criados por meio Dele e para Ele. Todos prestaremos contas de nossas vidas a Ele. A Ele, Rei do Universo inteiro, responderão também os legisladores, magistrados e governantes da terra. A Solenidade de Cristo Rei recorda anualmente este senhorio universal e o dever que todo ser humano tem de, na vida privada ou pública, obedecer aos mandamentos de Deus, que não são pesados (cf. 1Jo 5,3).

Vendo o crescimento do laicismo e a difusão da ideia de que a moral cristã deveria se confinar à esfera privada, sendo excluída das leis e da política, o Papa Pio XI estabeleceu a festa de Cristo Rei. O seu intuito era recordar que não é possível haver justiça nem paz duradoura entre os povos enquanto estes virarem as costas para o Criador e para o único Salvador do gênero humano. Pax Christi in regno Christi: A Paz de Cristo se dará no reino de Cristo! Somente obedecendo a Deus, a humanidade poderá encontrar justiça, paz e unidade.

O mundo assistiu a tentativas audaciosas de domínio global. Alexandre “O Grande”, o Império Romano, o Islamismo, o Comunismo e o Globalismo capitalista são exemplos disso. Embora tão diferentes, alguns desses projetos se uniram ao menos a um ideal comum: suplantar o reinado de Cristo. Afinal, “os reis da terra se insurgem e, unidos, os príncipes conspiram contra o Senhor e o Seu Cristo” (Sl 2,2). 

Enquanto isso, porém, “Aquele que habita nos céus se ri deles; o Senhor zomba deles” (Sl 2,4). Todos os esforços não prevalecerão contra Deus, a Quem pertencem o poder e a História. Até a sua segunda vinda, contudo, cabe a nós rezar e trabalhar pelo reinado de Cristo. Assim, mais pessoas O conhecerão, amarão e serão salvas. Que Cristo reine! Primeiramente, em nossas almas. Depois, na nossa casa. E, a seguir, na sociedade em que vivemos. Viva Cristo Rei!   

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter