Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo

Deus criou o universo e inscreveu a lei moral natural em cada coração humano. Não há fato ou pensamento que se subtraia a Seus olhos. Ele nos dá liberdade neste mundo para que O sirvamos por amor. Não nos confere, porém, um “direito” a pecar. Devemos obedecer-Lhe, pois “o Senhor dos exércitos é o Rei da glória” (Sl 23,10). Deus é Rei! Dele procede todo bem e toda autoridade (Rm 13,1). 

No ventre da Virgem Maria, o Filho de Deus tornou-se também “Filho do Homem”. Jesus Cristo possui todas as prerrogativas divinas, inclusive a realeza. A Ele “foi dado o poder, a honra e o reino” (Dn 7,14). Ele julgará cada indivíduo e, no último dia, “todos os povos da terra serão reunidos diante Dele” (Mt 25,32) para o Juízo Universal. Os maus irão para o castigo eterno e os justos para a vida eterna (Mt 25,46), pois “o seu poder é um poder eterno que jamais passará, e seu reino jamais será destruído” (Dn 7,14). Cristo é o Juiz, Legislador e Rei supremo! 

Isso quer dizer que existe um Homem ao qual todos devemos obedecer. Indivíduos, famílias e nações devem se submeter a Ele. Pobres, ricos, jovens, velhos, poderosos, humildes, católicos ou não… Todos fomos criados por meio Dele e para Ele. Todos prestaremos contas de nossas vidas a Ele. A Ele, Rei do Universo inteiro, responderão também os legisladores, magistrados e governantes da terra. A Solenidade de Cristo Rei recorda anualmente este senhorio universal e o dever que todo ser humano tem de, na vida privada ou pública, obedecer aos mandamentos de Deus, que não são pesados (cf. 1Jo 5,3).

Vendo o crescimento do laicismo e a difusão da ideia de que a moral cristã deveria se confinar à esfera privada, sendo excluída das leis e da política, o Papa Pio XI estabeleceu a festa de Cristo Rei. O seu intuito era recordar que não é possível haver justiça nem paz duradoura entre os povos enquanto estes virarem as costas para o Criador e para o único Salvador do gênero humano. Pax Christi in regno Christi: A Paz de Cristo se dará no reino de Cristo! Somente obedecendo a Deus, a humanidade poderá encontrar justiça, paz e unidade.

O mundo assistiu a tentativas audaciosas de domínio global. Alexandre “O Grande”, o Império Romano, o Islamismo, o Comunismo e o Globalismo capitalista são exemplos disso. Embora tão diferentes, alguns desses projetos se uniram ao menos a um ideal comum: suplantar o reinado de Cristo. Afinal, “os reis da terra se insurgem e, unidos, os príncipes conspiram contra o Senhor e o Seu Cristo” (Sl 2,2). 

Enquanto isso, porém, “Aquele que habita nos céus se ri deles; o Senhor zomba deles” (Sl 2,4). Todos os esforços não prevalecerão contra Deus, a Quem pertencem o poder e a História. Até a sua segunda vinda, contudo, cabe a nós rezar e trabalhar pelo reinado de Cristo. Assim, mais pessoas O conhecerão, amarão e serão salvas. Que Cristo reine! Primeiramente, em nossas almas. Depois, na nossa casa. E, a seguir, na sociedade em que vivemos. Viva Cristo Rei!   

Colunas Relacionadas

Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Colunas

Assine nossa Newsletter