Confira nossa versão impressa

A Igreja é cautelosa ao reconhecer as aparições de Nossa Senhora

A Sônia Alves enviou a seguinte pergunta: “Padre Cido, o que o senhor diz sobre as aparições de Nossa Senhora?”

É uma pena, Sônia, que, de repente, as pessoas fiquem como que alienadas por esses fenômenos de aparições, que se sucedem tanto no Brasil quanto no mundo todo, sendo que a maioria deles – digo a você com toda a convicção –, não passa de alucinações de pessoas infelizmente desequilibradas, por mais tranquilidade que demonstrem ter.

Sônia, é uma pena que as pessoas não ouçam os pastores da Igreja que alertam contra esses fenômenos de aparições, oferecendo muitos critérios para a gente examinar antes de dar fé a eles. Entre esses critérios estão a coerência das mensagens, o equilíbrio psíquico dos videntes, a concordância ou não com os ensinamentos da Igreja.

Você já reparou como muitas destas mensagens que colocam revelações na boca de Jesus, de Nossa Senhora, são muito mais ameaças do que palavras de orientação e confiança? Como qualquer profeta de mau agouro, muitos desses videntes só fazem anunciar castigos tremendos, fim do mundo, inferno… Ora, como acreditar que Jesus, o Bom Pastor, saia por aí anunciando desgraça em vez de salvação? Como acreditar que Maria, a doce mãe de Jesus, a mulher do silêncio, a mãe de bondade e de misericórdia, saia por aí anunciando que não está dando mais para segurar o braço de seu Filho, como se este fosse um vingador cruel pronto a despejar sua ira sobre a humanidade?

É por tudo isso que a Igreja é prudente diante dessas aparições. A Igreja é tão cautelosa que não declarou e nem pode declarar dogma de fé nenhuma aparição e nenhuma mensagem transmitida nessas aparições. Ela não nega que essas aparições podem acontecer, porque Deus, sendo onipotente, pode fazer e permitir o que Ele quiser. No entanto, a Igreja entende e ensina que tudo o que Deus tem a dizer à humanidade já foi revelado pelos profetas do Antigo Testamento, por Jesus, a Palavra viva do Pai, e pelos apóstolos. As revelações de Deus terminaram com a morte do último apóstolo.

Dito isso, minha irmã, é preciso que você tenha no seu coração que a Igreja leva tempo para reconhecer uma aparição de Maria. As aparições existem e nós veneramos: Nossa Senhora de Lourdes, de Fátima, de Guadalupe e Aparecida. Fique com Deus, minha irmã. Que Ele abençoe você e sua família.

Colunas relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Colunas

As mulheres não devem ter voz na Igreja?

Hoje respondo a essa dúvida do Reginaldo de Assis, de São Roque (SP): “Gostaria de entender melhor um trecho da Bíblia que...

Sobre o terrorismo que destruiu templos católicos no Chile

Acordei com as cenas de uma igreja chilena ardendo em chamas. Em nome de ideologias, jovens terroristas...

Solenidade de Todos os Santos

Celebrando Todos os Santos e os Fiéis Defuntos, respectivamente, pedimos a intercessão da Igreja que já triunfa no Céu e oferecemos sufrágios...

Escolas comunitárias: um direito dos pais na educação de seus filhos

No dia 15 de outubro de 2020, o Papa Francisco enviou uma mensagem a todos os líderes mundiais envolvidos com a educação...

Comunhão dos Santos

Ao longo deste mês de outubro, o nome de Carlo Acutis – beatificado no último dia 10, em Milão, na Itália –...

Newsletter