Confira nossa versão impressa

‘Por que São José é tão pouco citado na Bíblia?’

Essa é a dúvida do José Antônio, de Carapicuíba (SP). Sabe, meu irmão, muitas pessoas como você ficam intrigadas com o motivo de a Bíblia não ser tão minuciosa a respeito de pessoas e de fatos. Veja alguns exemplos: a adolescência e juventude de Jesus, a vida da Sagrada Família em Nazaré, a morte de José e Maria.

Vale lembrar, porém, José Antônio, que os evangelhos não foram escritos para nos falar de São José, de Nossa Senhora, dos apóstolos, mas, sim, para nos deixar a par do acontecimento decisivo da história da salvação, que foi a entrada de Jesus, o Filho de Deus, na nossa história humana.

Pegue sua Bíblia e veja como cada evangelista inicia seu Evangelho: todos se referem a Jesus. São Mateus começa citando a origem de Jesus. São Marcos aborda, logo no início, a Boa-Notícia de Jesus, o Messias, filho de Deus. Lucas afirma que decidiu escrever, depois de cuidadoso estudo e de entrevistar as testemunhas oculares que conviveram com Jesus. E João faz uma profunda meditação sobre Jesus, o Verbo de Deus.

Assim, é Jesus quem interessa. As pessoas que participaram da história da nossa salvação – Zacarias, Isabel, João Batista, José e Maria – são importantíssimas, mas falar delas não é o objetivo primeiro dos evangelistas.

Sobre São José, o importante, como afirma São Mateus, é saber que foi um “homem justo” e assumiu a missão de esposo fiel de Maria e de guardião e tutor de Jesus. Ele sustentou a Sagrada Família com seu trabalho. O resto que sabemos são deduções que fazemos: José morreu nos braços de Jesus e Maria, provavelmente antes da vida pública de Cristo, e é tido por todos nós como protetor dos trabalhadores, dos chefes de família e dos administradores.

Houve um grupo de escritores que tentou preencher os vazios deixados por Mateus, Marcos, Lucas e João e escreveu alguns evangelhos chamados apócrifos. Por serem tão fantasiosos, a Igreja não os considera inspirados por Deus, e, assim, não fazem parte da Bíblia.

Fixemos, então, a nossa atenção, como queriam os evangelistas, na pessoa de Jesus. Vale a pena acolhê-Lo com amor, como fizeram José e Maria, vale a pena escutar Jesus, segui-Lo e testemunhá-Lo, porque Ele é o único Senhor de nossa vida, o princípio e o fim de tudo, o Caminho, a Verdade e a Vida.

Colunas relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Colunas

Cardeal Scherer ordenará dois novos padres para a Arquidiocese neste sábado

Neste sábado, 5, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, às 15h, presidirá a ordenação de dois novos padres, no Santuário Arquidiocesano...

Novo documento do Vaticano ressalta o compromisso dos bispos pela unidade dos cristãos

“O Bispo e a unidade dos Cristãos: vademecum ecumênico” é o título do novo documento publicado pelo Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade...

Dom Jorge Pierozan conclui visitas pastorais na Região Santana

O Bispo celebrou na Paróquia Santa Joana D’Arc, no  Setor Pastoral Tremembé No domingo, 29 de novembro, Dom Jorge Pierozan, Bispo Auxiliar de São Paulo...

Paróquia Nossa Senhora das Graças realiza festa da padroeira na Brasilândia

As festividades foram encerradas com uma procissão luminosa e missa solene Com o tema “Maria, mãe da consolação e de todas as graças”, foi celebrada...

Governo cria Comitê Interministerial de Doenças Raras

Decreto está publicado hoje no Diário Oficial da União O governo federal criou o Comitê Interministerial de Doenças Raras, que funcionará no âmbito do Ministério...

Newsletter