‘A mão de Deus’, pintada por Eduardo Kobra no Minhocão

Em um prédio nas proximidades do Minhocão, o artista Eduardo Kobra retrata no mural ‘A mão de Deus’ a presença do “Criador de todas as coisas, etnias, culturas e povos’

O artista urbano Eduardo Kobra, 45, entregou no dia 15 de novembro seu primeiro mural na região do Minhocão, em São Paulo. A obra tem 33 metros de altura por 7 metros de largura, na empena de um prédio situado à rua Traipu, 50.  Em entrevista ao O SÃO PAULO, Kobra falou sobre o que o motivou a fazer a obra, que ele intitulou de “A mão de Deus”.

Fotos: Ricardo Cyrillo/Kobra Street Art

“A obra ‘A mão de Deus’ surgiu quando eu estava num lugar muito escuro, com pouquíssima esperança e, ali, eu me ajoelhei, fiz uma oração e pedi a Deus que me tirasse desse lugar. Senti, então, que Deus estendeu sua mão, me tirando daquele lugar escuro. Aquela mão [na obra, imersa em água] é a minha mão, que Deus está resgatando desse lugar. Deus me deu esperança e uma nova expectativa de vida. Desde então eu voltei a pintar e a realizar meus trabalhos. Por isso, é uma obra autobiográfica”, explicou.

Em geral, os murais elaborados pelo artista têm uma conexão com o lugar. É o caso da obra finalizada em setembro na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo. O mural faz parte de um projeto idealizado para a revitalização da escola, onde ocorreu um massacre em março de 2019, quando dois ex-estudantes armados invadiram o espaço.

A produção do mural no Minhocão também foi uma escolha do artista: “Eu queria que esse painel fosse em São Paulo e ali, naquele lugar, o Minhocão, que está se transformando em uma galeria a céu aberto e é um local muito relevante, pois fecha [ao trânsito de veículos] aos fins de semana e milhares de pessoas passam por ali. Consegui a aprovação desse mural por meio de contato com uma comunidade cristã, que autorizou a realização do painel. A execução foi complicada, pois o prédio tem 33 metros de altura por 7 metros de largura. Eu fiz as fotos em estúdio e todo o desenvolvimento do desenho, para só depois a realização da pintura”, comentou.

“A mão de Deus” pode ser vista colorida e, segundo o artista, ela representa a mão de Deus que é de todas as cores. “Ele é o Criador de todas as coisas, das etnias, culturas, povos. Por isso quis, com a mão colorida, representar tudo isso. Já a mão azul é a minha mão, que está quase afogada, perdendo todas as forças”, explicou Kobra, no Jardim Martinica, na zona Sul de São Paulo.

‘A fé muda a humanidade’

Kobra disse ainda que a mensagem do mural não é destinada a pessoas de uma religião específica. “Eu recebi mensagens de ateus que olharam para o mural e viram nele a questão da solidariedade ou pessoas de diferentes religiões, como judeus. Ou ainda cristãos que veem a mão como sendo a de Jesus, que resgata Pedro quando ele duvida. Então, é um mural dinâmico, que pretende respeitar a todos na cidade”, disse.

O artista disse ainda que, há 20 anos, sofreu um processo de intoxicação por metais pesados, o que lhe causou problemas respiratórios e no intestino.

“Passei por médicos no Brasil e no exterior, tomei muitos remédios, e, há muitos e muitos anos, comecei a ver em Deus uma esperança para tudo isso. Voltei minha vida para a fé e, por meio dela, mudei valores, princípios, comecei a dar mais valor para a minha família e para as pessoas que estão comigo desde o início, tive um filho… Assim, por meio da fé em Deus, da fé em Jesus Cristo, tive uma alteração nos princípios de vida, aprendi a ser uma pessoa mais tolerante, que quer melhorar a cada dia, corrigir-se. Pude viajar por todos os continentes e ver a beleza em todas as culturas, nas religiões. A fé muda a humanidade e muda para melhor. Tenho certeza de que a intolerância e a violência não vêm de Deus e sim do coração do homem”, afirmou.

Ao ser perguntado sobre a presença de Deus em sua vida, o muralista disse que, para ele, Deus “é o alfa e o ômega, o princípio e o fim, é o Criador de todas as coisas, o Criador da vida, é aquele que provê o alimento todos os dias, que nos dá a família, a esperança”. E, ainda: “Eu jamais conseguiria levar uma vida distante da presença de Deus, tanto eu quanto os meus familiares. Por isso me afastei da bebida e de muitos caminhos tortos e Deus para mim é minha vida, é tudo o que eu sou”.

Sobre o artista

Kobra iniciou um novo projeto, “A Arte de Conservar”, para restauração e revitalização de suas principais obras. Ele trabalhou, ao lado de sua equipe, até o dia 7 de dezembro no mural “A Lenda do Brasil”, de 41 metros por 17,5 metros, feito em homenagem ao piloto Ayrton Senna, na empena de um prédio na rua da Consolação.

Recentemente, entregou em Santos, no litoral de São Paulo, o mural “Coração Santista”, de 800 metros quadrados. A obra foi inaugurada no dia 23 de outubro, data do aniversário de 80 anos de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé.

Pouco antes, o muralista lançou um painel sobre o Líbano, país marcado pela recente tragédia ocorrida em Beirute. A tela foi leiloada e foram feitas serigrafias para serem sorteadas entre pessoas que fizessem doações para o Líbano.

Os murais de Kobra estão em cerca de 35 países e em diversas cidades e estados brasileiros.

Comentários

  1. Fantástico! Amei a reportagem! Tão especial como o Kobra se manifestou e contou sua experiência de vida! Fiquei feliz e emocionada! Arretado d+! Sou sua fã Kobra! Cheirin pernambucano Airô Bartos

  2. Parabéns pela matéria de esperança, beleza e humanidade. Continuem com essa bela missão de comunicar a verdade, as belezas de Deus.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter