‘A missão do sucessor de Pedro é a de confirmar os irmãos na fé dos apóstolos’

Afirmou o Cardeal Odilo Scherer, na missa da Solenidade de São Pedro e São Paulo, na Catedral da Sé

‘A missão do sucessor de Pedro é a de confirmar os irmãos na fé dos apóstolos’
Cardeal Odilo Scherer preside missa da solenidade de São Pedro e São Paulo na Catedral da Sé (foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

Na manhã do domingo, 3, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a missa da solenidade dos apóstolos São Pedro e São Paulo na Catedral da Sé. No Brasil, essa solenidade litúrgica que é originalmente celebrada em 29 de junho, é transferida para o domingo, para que os fiéis participem intensamente deste dia santo.

“Olhando para esses apóstolos, lembramos a nossa fé, que se liga a Jesus Cristo. Os apóstolos beberam da fonte da nossa vida cristã, são testemunhas da primeira hora daquilo que nós cremos, do que a Igreja crê, anuncia e continua a testemunhar no mundo”, afirmou Dom Odilo, no início da celebração, recordando que, nessa ocasião, a Igreja celebra o Dia do Papa e convidou os fiéis a manifestarem suas orações, carinho e atenção pelo Pontífice, por suas palavras e ensinamentos.

Também por ocasião da solenidade de São Pedro e São Paulo, acontecem em todas as igrejas católicas do mundo a tradicional coleta do Óbolo de São Pedro. Trata-se da ajuda econômica que os fiéis oferecem diretamente ao Papa, para as múltiplas necessidades da Igreja universal e para as obras de caridade em favor dos mais necessitados.

LEIA TAMBÉM:
 
Os católicos e o Papa
 
 Unidos no amor a Deus e à Igreja e na morte sofrida por causa da fé
 
Óbolo de São Pedro: Até onde chega a caridade do Papa?

Fé apostólica

Na homilia, o Arcebispo explicou que São Pedro e São Paulo são comemorados juntos e que seus túmulos estão na mesma cidade, Roma, onde derramaram seu sangue por Cristo. “Quando falamos da nossa fé apostólica, lembramos que é a fé de Pedro e de Paulo... São recordados na liturgia como mártires de Cristo, que deram sua vida por amor a Cristo e pelo Evangelho, pela missão que receberam do senhor e desempenharam fielmente até o fim com generosa doação de si próprios”, disse.

Dom Odilo destacou, ainda, que São Pedro e São Paulo recordam as primícias, isto é, os primeiros frutos da fé cristã, regada pelo sangue dos mártires de todos os tempos. “Os apóstolos nos recordam a firmeza e o fundamento daquilo que nós cremos”, acrescentou o Arcebispo, sublinhando que a Igreja é Católica Apostólica. “Portanto, estamos firmes naquela fé testemunhada por aqueles que conheceram Jesus e nos deram o patrimônio da fé da Igreja”, completou.

Ao comentar a primeira leitura do livro dos Atos dos Apóstolos, que narra a prisão e a libertação de São Pedro, o Cardeal Scherer chamou a atenção para a primeira perseguição dos cristãos impetrada por Herodes, com objetivo de “eliminar pela raiz” o Cristianismo nascente. No entanto, isso não surtiu efeito e a pregação do Evangelho se expandiu ainda mais.

“Quantos, hoje, estão inseguros na fé, pensando que o Cristianismo vai acabar. Há sempre alguém que aposte que esse será o fim da Igreja... Fiquemos tranquilos, firmes, seguros. Estamos em boa companhia. A perseguição, o martírio, a repressão, a tortura fazem parte da história do Cristianismo. Jesus sofreu tudo isso e disse que quem quisesse segui-lo estaria sujeito a sofrer também”, afirmou o Arcebispo.

“Por isso, é importante recordarmos os mártires, aqueles que perceberam o grande valor da fé cristã a ponto de dar a vida por ela. Se o fizeram, não foi porque eram fanáticos, fizeram com grande lucidez”, completou, frisando que também nos dias atuais há perseguição aos cristãos em muitos lugares, seja de forma explícita, seja de maneira “disfarçada”. “Não tenhamos medo!”, exortou.  

‘A missão do sucessor de Pedro é a de confirmar os irmãos na fé dos apóstolos’
Dom Odilo Incensa imagens de São Paulo e São Pedro (foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

‘Tu és Pedro’

Dom Odilo destacou, ainda, que o mesmo texto bíblico narra que, enquanto Pedro estava preso, a comunidade cristã rezava continuamente a Deus por ele. “Hoje é dia de rezar pelo Papa, mas não só hoje. Rezamos todos os dias, quando celebramos a missa, mas também quando não participamos da missa, devemos rezar sempre por Pedro. É nosso dever e também a forma como nós, cristãos, fazemos aquilo que a Igreja fez desde a sua origem. Fazendo isso, estamos unidos à Igreja. Rezemos pelo Papa”, acrescentou.

Mencionando o Evangelho do dia, no qual Jesus, após indagou aos discípulos sobre o que dizem as pessoas a seu respeito, o Cardeal Scherer afirmou que, também nos dias atuais, nos artigos de jornais, nas revistas, nos cinemas e romances, são ditas muitas coisas sobre Jesus. “O que você, católico, diz sobre Jesus? É isso que importa, a nossa fé, a fé da Igreja sobre Jesus”, salientou, acrescentando que tal resposta não dever ser dada apenas por meio das palavras, mas pelo testemunho de vida e de fidelidade a Cristo e à sua Igreja.

Ao também ser indagado pelo Senhor, Simão responde: “Tu és o Messias, o filho de Deus”. Após a profissão de fé do apóstolo, Jesus lhe diz: “Tu és Pedro e sobre esta pedra eu edificarei a minha Igreja”. Ao comentar esse trecho, Dom Odilo explicou que Cristo edifica a Igreja sobre o testemunho da fé de Pedro em Jesus salvador, o ungido de Deus. “Esta é a fé da Igreja”, afirmou, recordando que, como afirmou reiteradas vezes o Papa Francisco, a Igreja não é uma ONG, partido, ideologia, movimento cultural ou social. “A Igreja se constrói sobre esta fé que Pedro professou”, sublinhou o Cardeal.

Comunhão com o Papa

“A missão do sucessor de Pedro é a de, constantemente, confirmar os irmãos na fé de Pedro e dos apóstolos. O Papa nos mantém firmes nesta mesma fé”, enfatizou Dom Odilo, reforçando a importância de ouvir o que o Pontífice diz, ressaltando que embora haja diferentes opiniões sobre questões humanas, o que o Papa diz em matéria de fé e da vida dos cristãos, não há como o cristão discordar, pois, essa é a fé da Igreja.

O Cardeal Scherer se referiu a Paulo como grande apóstolo e missionário de Jesus Cristo. “Pedro foi aquele que manteve a Igreja unida em torno da fé. Paulo foi aquele que levou o Evangelho aos povos... A Igreja não pode ficar parada olhando para si, deve sempre ir para frente, ao encontro das pessoas. É o que Pedro, por meio de Francisco, diz-nos hoje nos diz hoje: sejamos uma Igreja em saída, missionária...”, acrescentou.

Por fim, Dom Odilo afirmou que cabe a todo o católico assistir, apoiar, respeitar e estar em comunhão com o Papa Francisco manifestando respeito e obediência, recordando um antigo ditado que diz: “Onde está Pedro, aí está a Igreja” e concluiu: “Quem está com Pedro, está com a Igreja”.  

Deixe um comentário