Com o tema ‘Pão em todas as mesas’, 18º Congresso Eucarístico Nacional começa nesta semana

Com o tema ‘Pão em todas as mesas’, 18º Congresso Eucarístico Nacional começa nesta semana, Jornal O São Paulo
CEN

Ponto central da vivência da fé cristã, a Eucaristia, sacramento que “alimenta o discípulo com o Corpo e o Sangue de Cristo em vista de sua transformação nele” (Catecismo da Igreja Católica, 1275), será destacada no 18º Congresso Eucarístico Nacional (CEN), que acontece entre os dias 11 e 15, na Arquidiocese de Olinda e Recife (PE), promovido em parceria com o Regional Nordeste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

“O 18º CEN visa a aprofundar e motivar a relação entre fé e vida, por meio de ações que abordem a dimensão social e profética da Ceia do Senhor, como mesa aberta e sacramento da partilha”, consta no site oficial do Congresso. A atividade estava programada inicialmente para novembro de 2020, mas foi adiada por duas vezes em decorrência da fase mais crítica da pandemia de COVID-19. 

POR AMOR À EUCARISTIA 

Os congressos eucarísticos são realizados pela Igreja Católica em todo o mundo, com o propósito de professar e dar testemunho público da fé em Jesus Eucarístico e adorar o Senhor em Espírito e Verdade (cf. Jo 4,23).

O primeiro aconteceu em Lille, na França, em 1881, organizado por um grupo de leigos, inspirados em São Pedro Julião Eymard (1811-1868), conhecido com o “Apóstolo da Eucaristia”, por ser um incansável incentivador da participação frequente dos fiéis nas missas. Ele considerava que estar diante de Deus, contemplando a hóstia consagrada, transcende toda e qualquer forma de intimismo e impulsiona o cristão a dar testemunho da fé na vida cotidiana. 

Desde os primeiros congressos, a essência é a viva fé na presença real da pessoa de Jesus no sacramento da Eucaristia. Por essa razão, há especiais momentos de adoração solene e grandiosas procissões que evidenciavam o triunfo da Eucaristia. 

No Brasil, o primeiro Congresso Eucarístico Nacional ocorreu na Arquidiocese de São Salvador (BA) em 1933. Recife sediou o 3º CEN, em setembro de 1939. A última edição aconteceu em 2016, em Belém (PA), reunindo meio milhão de católicos. 

O 18º CEN 

“Pão em todas as mesas” é o tema do 18º Congresso Eucarístico Nacional, que tem como lema “Repartiam o pão com alegria e não havia necessitados entre eles” (At 2,46). 

Nos cinco dias de atividades, o grande propósito é que os participantes possam se aprofundar teologicamente sobre o sacramento da Eucaristia, bem como professar e dar testemunho público da fé no mistério eucarístico. 

“Estamos felizes por poder externar a nossa fé em Jesus Cristo, que se doa e se faz pão por amor a todos nós. Sem dúvida, esse testemunho é eficaz, porque é assim que a Igreja nos ensina a evangelizar. Muito mais do que por palavras, que possamos evangelizar pelo testemunho, pelo comprometimento”, afirmou Dom Antônio Fernando Saburido, Arcebispo de Olinda e Recife, em recente entrevista ao site do Regional Nordeste 2 da CNBB. 

O Cardeal Odilo Pedro Scherer será um dos participantes do 18º CEN. Na coluna “Encontro com o Pastor”, publicada nesta edição do O SÃO PAULO, o Arcebispo de São Paulo afirma que o tema do Congresso, “não podia ser mais atual e se refere, em primeiro lugar, à própria mesa eucarística: todos são convidados para uma participação sempre mais ativa, consciente, plena e frutuosa. A Eucaristia é um verdadeiro tesouro da nossa fé cristã, com muitos significados importantes. Sua celebração ocupa um lugar central na vida da Igreja, de cada comunidade eclesial e também na vida pessoal de cada cristão”. 

ATIVIDADES 

Celebrações litúrgicas, uma feira católica, exposições, catequeses, simpósio teológico e apresentações culturais são parte da programação do 18º CEN. 

A solene missa de abertura, na sexta-feira, 11, às 18h, ocorrerá no Centro de Convenções de Pernambuco, presidida pelo Cardeal António Augusto dos Santos Marto, Bispo Emérito da diocese portuguesa de Leiria-Fátima, que será o representante do Papa Francisco no Congresso. O Bispo português também presidirá a missa de encerramento no dia 15. 

Entre as atividades no dia 12, estão as celebrações eucarísticas e catequeses públicas nas paróquias da Arquidiocese de Olinda e Recife, e uma vigília das juventudes, no Centro de Convenções de Pernambuco. No dia 13, serão realizadas missas em diferentes paróquias, nas quais catequizandos receberão o sacramento da primeira Comunhão. Já no dia 14, celebrações eucarísticas ocorrerão em comunidades paroquiais. Ao longo do 18º CEN haverá, ainda, visitas missionárias. 

A programação do último dia, 15, começará com uma visita guiada pelas cidades de Olinda e Recife. Às 10h, haverá um encontro de coros, na Basílica do Carmo, em Recife; às 11h30, a inauguração da Casa do Pão, um dos legados deste Congresso; e, às 16h, a celebração eucarística de encerramento, no marco zero de Recife, com a procissão com o Santíssimo Sacramento até o Pátio da Basílica do Carmo, também na capital pernambucana. 

CASA DO PÃO, ESPAÇO DE ORAÇÃO E SOLIDARIEDADE 

Construída para atender pessoas em situação de vulnerabilidade, em especial as que vivem nas ruas, a Casa do Pão, um dos legados do 18º CEN, será inaugurada no dia 15, no centro de Recife. 

O atendimento se dará por meio de parcerias com pessoas físicas, empresas, universidades e órgãos públicos, oferecendo atendimentos espiritual, médico e jurídico, além de lavanderia, banho e restaurante-escola. No prédio de três pavimentos, também haverá uma capela com o nome de Santa Dulce dos Pobres. Na sede provisória, em funcionamento em um prédio próximo, já estão sendo oferecidas 150 refeições diárias e assistência médica a pessoas em situação de vulnerabilidade. 

No programa “Bom Dia, Dom Fernando”, veiculado pelas redes sociais da Arquidiocese de Olinda e Recife, na terça-feira, 8, Dom Antônio Fernando Saburido destacou que o tema do Congresso indica que “não basta celebrar a Eucaristia bem, com uma bela liturgia, com a sua profundidade teológica, espiritual, mas que é preciso aplicar tudo isso na vida, ter sensibilidade, para que possamos desfrutar de momentos felizes em que ajudamos os nossos irmãos mais necessitados, procurando vê-los como verdadeiros irmãos em Cristo e não ficando absolutamente indiferentes às suas necessidades”. 

Deixe um comentário