Confira nossa versão impressa

Dom Odilo: ‘Olhando para João Batista, vemos a nossa missão e a da Igreja’

Arcebispo Metropolitano presidiu missa na noite da quarta-feira, 24, em paróquia dedicada ao Santo na zona Sul da capital

Dom Odilo: ‘Olhando para João Batista, vemos a nossa missão e a da Igreja’
Paróquia São João Batista – Vila Guarani

A quarta-feira, 24, foi dia de celebração do padroeiro na Paróquia São João Batista, na Região Episcopal Ipiranga, bairro da Vila Guarani. A missa solene de encerramento, à noite, foi presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, e concelebrada pelo Padre Ricardo Antonio Pinto, Pároco, e pelo Padre Maércio Ângelo.

Um pequeno número de membros do conselho paroquial, que representaram toda comunidade e seguiram todas as medidas sanitárias e de segurança, participou da missa, e milhares de fiéis puderam acompanhá-la pelas redes sociais da Paróquia.

“Nossa Igreja, aos poucos, começa a retomar suas atividades com a presença do povo. Hoje ainda somos poucos, mas esperamos que em breve nossas igrejas possam novamente se encher do povo para participar das celebrações, sobretudo nos domingos e nas festas. Mas é claro, que ainda estamos em plena pandemia e precisamos continuar a cuidar para que a saúde e a vida seja preservada. Portanto, precisamos ter todos os cuidados sanitários necessários que são recomendados”, lembrou o Cardeal Scherer.

Preparar o caminho

Na homilia, Dom Odilo refletiu sobre a vida e a missão de São João Batista, que foi o maior dos santos, segundo o próprio Jesus. Segundo ele, João foi proclamando Santo antes mesmo de nascer, pois foi santificado no ceio de sua mãe.

“Nós celebramos o nascimento apenas de dois santos, dos outros sempre a morte ou o martírio, que é a entrada para vida eterna. Além de Maria, Mãe de Jesus, nós celebramos o nascimento de João Batista, porque ambos foram santificados antes de nascer, por uma graça especial do Espírito Santo, por méritos naturalmente do nosso Senhor. Maria, foi escolhida para ser a mãe do Salvador e João Batista escolhido para preparar o povo para acolher o Messias.”

O Arcebispo de São Paulo recordou como vivia o Santo conhecido por suas pregações e o Batismo de conversão no Rio Jordão, e refletiu sobre a humildade de João Batista que sempre se colou a serviço daquele que estava por vir e apontou Jesus como o Salvador e ungido de Deus: “João Batista é o instrumento e foi aquele que preparava o encontro com o Messias e isso ele fez de maneira muito perfeita com grande humildade, dignidade e honestidade”.

O verdadeiro profeta

Dom Odilo alertou que é preciso ter cuidado com os falsos profetas que ao fazer sucesso chamam o povo para si mesmo e não para Deus, esquecem de mostrar que Jesus que deve ser seguido e preferem tirar vantagem e atrair a glória e a vaidade para si mesmo.

“João Batista é um profeta verdadeiro e sempre apontou para Jesus. Esse papel de João deve ser o da Igreja, dos pregadores, dos sacerdotes e de toda comunidade. A Igreja não convida simplesmente para olhar para dentro dela, mas para olhar para Jesus e seguir suas palavras e ensinamentos. Nós somos apenas instrumentos de Deus, somos aqueles que vem ajudar a chamar o povo e abrir caminho para o encontro com Jesus.”

Evangelizar com alegria

O Cardeal lembrou que todos que trabalham com a evangelização, como os sacerdotes, os catequistas e os pais, devem se alegrar a exemplo de João Batista, quando as pessoas se encontram com Deus e começam a praticar a fé.

“Olhando para João Batista, nós vemos a nossa missão e a da Igreja, que é de preparar o povo para o encontro com Jesus. Preparar o caminho para que as pessoas possam se encontrar com Ele, facilitar o encontro com Ele, esse é o nosso papel como Igreja.  Portanto, isso nós sempre temos que aprender com João Batista e com os outros santos.”

Ajudar as pessoas

O Arcebispo de São Paulo falou ainda sobre o atual momento em que as pessoas estão com saudade de voltar à Igreja e realizar ações de evangelização e caridade. Dom Odilo recordou que a Arquidiocese está trabalhando para estabelecer critérios e protocolos para que isso possa acontecer em breve.

“Essa pandemia nos ensina de alguma forma que não devemos nos apegar a si mesmo e viver para os outros, para caridade, para o amor, para doação e assim encontramos o sentido verdadeiro as nossa vida. Existem muitas pessoas doentes, pobres, angustiadas, desesperadas ao nosso redor e essa é a vez que podemos ajudar. Deus nos dá essa possibilidade. Por isso, nós devemos nos alegrar por toda a pessoa que podemos ajudar, e sobretudo nesse tempo de crise ajudar as pessoas e encontrar Deus”, concluiu.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Retirar-se para ouvir a voz de Deus

O SÃO PAULO apresenta indicações para quem deseja realizar um retiro espiritual de maneira solitária e pessoal

Marcha pela Vida 2020: a mulher e o bebê têm igual direito de viver

Não foi como nos anos anteriores, com centenas de pessoas nas ruas, mas a Marcha pela Vida...

São João Paulo II: um Santo e poeta da Igreja

Dando sequência a série especial que rememora santos poetas da Igreja ao longo da história, O SÃO...

Polônia inaugura mural gigante de São João Paulo II no ano do centenário

Uma cidade polonesa inaugurou um mural gigante de São João Paulo II, em homenagem ao centenário de...

Declaração do Papa sobre homossexuais foi editada com fragmentos de entrevista de 2019

Cineasta utilizou trechos retirados do contexto original de uma entrevista do ano passado para compor afirmação do Pontífice a respeito das uniões...

Newsletter