Dom Odilo propõe aos fiéis que reflitam sobre como vivem a fé

O Arcebispo de São Paulo falou sobre o assunto em seu programa na rádio 9 de Julho

Dom Odilo propõe aos fiéis que reflitam sobre como vivem a fé
Luciney Martins /O SÃO PAULO

O Cardeal Odilo Pedro Scherer refletiu sobre a vivencia da fé sob a luz do Evangelho no programa “Encontro com o Pastor”, da terça-feira, 15, na rádio 9 de Julho.

O Arcebispo de São Paulo falou sobre as Liturgia do dia e seu sentido dentro da Quaresma, propondo uma reflexão sobre como os fiéis estão vivendo a fé.

“Durante a Quaresma, nós somos estimulados e orientados a fazermos uma boa revisão de vida, vermos como as coisas andam, se temos aspectos da nossa vida cristã que estão parados, que precisamos dinamizar mais, encorajar a viver mais as virtudes e corrigir os erros, os vícios, os nossos pecados. Este é o tempo de conversão, de orientar, talvez até reorientar, a nossa vida para que ela seja agradável a Deus”, introduziu.

Dom Odilo lembrou que a Liturgia da Palavra desta terça-feira fala justamente sobre a vida agradável a Deus.

No Antigo Testamento, Isaías volta-se para o povo que se queixava dizendo que Deus não é justo, que não olhava para eles, que os esqueceu. Diante disso, o profeta questiona as pessoas em relação ao modo como fazem oração e vivem a religião, uma vez que, de um lado, pedem a bênção, mas de outro são violentes contra o próximo, caluniam, julgam mal, uma situação de injustiça que não vai bem diante de Deus e que precisa ser corrigida.

Jesus, no Evangelho, fala contra escribas e fariseus, que eram os entendidos da religião. Cristo critica a falsidade desses chefes religiosos que ensinam, mas não praticam o que dizem e amaram pesados fardos para que os outros carreguem.

“Uma religião só exterior, na aparência, não agrada a Deus. De Deus a gente não deve zombar nem pretender enganar. Nunca vamos enganar a Deus. No fim, acabamos sendo aquele que quem leva a pior, porque Deus conhece o interior. Por isso, a nossa fé deve ser não só exterior, mas interior, uma adesão do coração sinceramente, a religião praticada retamente”, adverte o Cardeal.

O Arcebispo lembrou que a Quaresma deve ser vivida retamente todos os dias, sem fingimentos, falsidades; e que os mandamentos de Deus são para serem cumpridos de todo e sincero coração, não apenas com atitudes externas.

OUÇA A ÍNTEGRA DO PROGRAMA “ENCONTRO COM O PASTOR”

Deixe um comentário