Em assembleia, é eleita a nova diretoria da Caritas Arquidiocesana

Na ocasião, também houve um balanço das ações realizadas em 2022, com destaque para a atenção com os mais pobres e o apoio a refugiados

Por Daniel Gomes e Fernando Arthur

Em assembleia, é eleita a nova diretoria da Caritas Arquidiocesana, Jornal O São Paulo
Luciney Martins/O SÃO PAULO

O Diácono Márcio José Ribeiro, 61, será o novo diretor da Caritas Arquidiocesana de São Paulo (CASP) para o triênio 2023-2025. Ele foi eleito em assembleia realizada no dia 23, na sede do organismo, no bairro da Parada Inglesa, na zona Norte.

A assembleia foi conduzida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo e presidente da CASP; e pelo Padre Marcelo Maróstica, atual Diretor da Caritas. Entre os participantes também estavam Dom Carlos Silva, OFMCap., Dom Ângelo Ademir Mezzari, RCJ, Dom Jorge Pierozan e Dom Cícero Alves de França, bispos auxiliares da Arquidiocese.

A nova diretoria

Além do Diácono permanente Márcio José, que atua na Região Episcopal Santana, tomarão posse em 1o de janeiro de 2023 como membros da diretoria da CASP: como vice-diretor, o Padre Marcelo Maróstica Quadro, 54, Pároco da Paróquia São José, na Região Belém, e que é o atual diretor da Caritas Arquidiocesana; como tesoureiro e vice-tesoureiro, os senhores Fábio Henrique Krubiniki e Carlos Augusto Camargo, respectivamente; e como secretária e vice-secretária, as senhoras Fabrícia Paes e Maria Inês Leandro, respectivamente. 

Para o Conselho Fiscal, foram eleitos os diáconos permanentes Orlando Luciano da Silva e Rogério Lopes Camargo, além do senhor Ricardo Lanzoni. 

Ao O SÃO PAULO, o Diácono Márcio Ribeiro salientou que a CASP “se apresenta com a desafiadora missão de ser o braço estendido da Igreja, atuando na sensibilização, animação, articulação e promoção da caridade”.

Em assembleia, é eleita a nova diretoria da Caritas Arquidiocesana, Jornal O São Paulo

O Diácono recordou as palavras do Papa Francisco, ditas em 2016, de que a Caritas deve ser “estímulo e ânimo a fim de que toda a comunidade cresça na caridade e saiba encontrar caminhos novos para estar próxima aos pobres, seja capaz de ler e enfrentar as situações que oprimem milhões de fiéis em todo o mundo”.

O diretor eleito da CASP destacou a presença motivadora do Cardeal Scherer junto a este organismo da Igreja, agradeceu o empenho dos bispos auxiliares na presidência de cada um dos seis núcleos regionais, bem como a atuação dos voluntários, e assegurou que a nova diretoria dará continuidade aos projetos que estão sendo realizados. 

Balanço das ações

Antes da eleição da nova diretoria, foi feito um balanço das atividades realizadas em 2022. As formações sobre Economia Popular Solidária; Fundo Rotativo e Banco Comunitário; Doutrina Social da Igreja; Terapias Integrativas; Missão e Identidade da Caritas; Campanha da Fraternidade; Lei Geral de Proteção de Dados foram destacadas pelo Padre Marcelo Maróstica, atual diretor.

Por meio de seus núcleos nas seis regiões episcopais, a CASP também foi a presença da ação caritativa da Igreja em São Paulo, com a distribuição de cerca de 1,7 mil cestas básicas; outros 295kg de alimentos; mais de 5 mil peças de roupas; 500 máscaras descartáveis; aproximadamente mil cobertores; e 50 bíblias bilíngues.

Houve ainda bazares solidários, a formação de novos grupos do CREDIPAZ, plantão social, rodas de escuta, a Campanha do Agasalho – que beneficiou cerca de 800 pessoas – e iniciativas emergenciais em favor das populações de Petrópolis (RJ) e Franco da Rocha (SP), afetadas por tragédias climáticas. 

A Caritas Arquidiocesana também realizou ações no VI Dia Mundial dos Pobres, em novembro, apoiou o Amparo Maternal e promoveu a Festa das Nações com os refugiados.

O fortalecimento dos núcleos regionais também foi mencionado pelo Padre Marcelo, assim como a atuação do Departamento de Assistência Social da CASP, realizado pela Irmã Sônia Martins, MSC, que ao longo do ano visitou projetos do organismo, como a Horta do Beco, em São Bernardo do Campo (SP), e a Lavanderia 08 de Março, em Santos (SP).

Em assembleia, é eleita a nova diretoria da Caritas Arquidiocesana, Jornal O São Paulo

Acolhida e orientação a refugiados

O Serviço de Acolhida e Orientação para Refugiados (SAOR) da Caritas também teve destaque no relatório de ações. Padre Marcelo Maróstica mencionou as visitas sociais às comunidades onde se encontram refugiados, como a Ocupação Chácara das Corujas, em Parelheiros, e a Ocupação Porto Príncipe, no Ipiranga. 

Outra ação do serviço de acolhida foi a participação do 2º Mutirão Pop Rua Jud, na Praça da Sé, entre os dias 21 e 23 deste mês, durante o qual houve atendimento para a regularização da situação de refugiados no Brasil. 

Além disso, o SAOR realizou atendimentos em Campinas (SP) e em Bauru (SP), com a entrega de doações a famílias do povo Warao, bem como a venezuelanos e cubanos. 

Outras ações do SAOR mencionadas pelo Padre Marcelo Maróstica foram: 

  • Projeto Labores: que, em parceria com o Ministério da Justiça, ofertou cursos profissionalizantes e oficinas de arteterapia a pessoas em situação de refúgio;
  • Projeto Jovens: feito em parceira com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, com workshops de língua inglesa; e em parceria com o Cursinho da Poli, oferecendo 10 bolsas de estudo para pré-vestibular.
  • Reestabelecimento de Laços Familiares: em parceria com a Cruz Vermelha, proporcionou a distribuição de chips telefônicos e ligações internacionais;
  • Refúgio nas Escolas: consistiu em palestras nas escolas, para tratar de temas de migração e refúgio, com o intuito de combater a xenofobia e o preconceito nas futuras gerações.

De acordo com o Sacerdote, os programas de Assistência Social, Integração Local, Proteção Local e Saúde Mental terão continuidade no SAOR, assim como as visitas às comunidades onde vivem os refugiados. 

No próximo ano, também se prevê a assinatura de um termo de cooperação com a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) para elaboração de uma documentação sobre a História do Refúgio em São Paulo e a disponibilização de arquivos para pesquisadores. 

Olhar especial aos refugiados afegãos

Padre Marcelo também apresentou uma planilha com todas as ações da CASP, desde agosto de 2021, em atenção aos refugiados afegãos que chegaram à capital paulista. O atendimento a eles oferecido consistiu de orientações coletivas sobre integração, assistência, proteção e saúde. Além disso, eles puderam realizar curso de Português.

A Casa de Acolhida “Todos Irmãos”, mantida em parceria com a Caritas Guarulhos, o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) e a Prefeitura de Guarulhos, também citada, pois ali 131 refugiados realizam aulas de Português, atividades de lazer, rodas de conversa e foram vacinadas.

Padre Marcelo destacou que, até o momento, no SAOR foram atendidas cerca de 4 mil pessoas, de 43 nacionalidades, sendo a maioria afegãos e venezuelanos. Ele enfatizou a resposta analítica, rápida, estratégica perante o grande fluxo de afegãos e a capacitação de pessoas em situação de refúgio. 

Em assembleia, é eleita a nova diretoria da Caritas Arquidiocesana, Jornal O São Paulo

Plano de Ação para 2023

Por fim, foram listadas algumas das prioridades de ação para o ano de 2023:

  • Continuação do processo de fortalecimento dos núcleos regionais; 
  • Elaboração e execução do projeto-piloto de Economia Popular Solidária da CASP; 
  • Assumir a Campanha da Fraternidade 2023 como eixo transversal nas ações da CASP; 
  • Formação permanente dos agentes e voluntários; 
  • Reformulação do Estatuto e Regimento da CASP;
  • Formar voluntariado para atuar em ações emergenciais; 
  • Aprofundamento do Código de Ética e da Política de Combate a Discriminação e Assédio Moral e Sexual da CASP.

Deixe um comentário