Pastorais e movimentos da Arquidiocese oferecem ceia natalina aos pobres

A Praça da Sé, no centro de São Paulo, se transformou em um restaurante a céu aberto na noite do domingo, 19, para a realização de mais uma edição do Natal dos Pobres.

Pastorais e movimentos da Arquidiocese oferecem ceia natalina aos pobres, Jornal O São Paulo
Fotos: Luciney Martins/O SÃO PAULO

Como acontece desde 2015, foi oferecida uma ceia natalina a cerca de 1,5 mil pessoas em situação de rua e em vulnerabilidade social. A iniciativa foi promovida pela comunidade Aliança de Misericórdia e outras organizações eclesiais ligadas ao Vicariato Episcopal para a Pastoral do Povo da Rua da Arquidiocese de São Paulo. Ao todo, cerca de 600 voluntários participaram da ação.

O evento ocorreu no encerramento da 21ª edição da ação missionária Thalita Kum. Pelas ruas e praças do centro da capital paulista, missionários anunciam a alegria do nascimento de Jesus por meio de músicas, danças, teatro, pregações e abordagens individuais.

A ceia foi antecedida por uma missa presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo, na Catedral da Sé, concelebrada por Dom Carlos Lema Garcia, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Sé, e por diversos padres.

ESCOLA DE VIDA CRISTÃ

Na homilia, Dom Odilo agradeceu a todos os agentes e missionários que enfrentaram os desafios e riscos da pandemia para continuar o trabalho de atendimento aos mais necessitados.

“Que Deus os abençoe pelo trabalho que fizeram e que fazem. É muito bonito o que vocês realizam”, afirmou o Arcebispo, ressaltando que a caridade para com os pobres é uma verdadeira “escola de vida cristã”

Recordando que no Natal é celebrado o mistério de Deus que veio ao encontro da humanidade, o Cardeal enfatizou que o Senhor é acolhido pela humanidade de muitos modos: pelos sacramentos, em especial a Eucaristia, pela meditação de sua Palavra, e pelos irmãos, sobretudo, aqueles que mais precisam de atenção e cuidado.

“No Natal, acolhemos Jesus espiritualmente e pessoalmente nos irmãos. De nada adiantaria dizer ‘eu amo Jesus’ e não ter sensibilidade pelos irmãos que sofrem e não os acolher”, reforçou Dom Odilo.

Pastorais e movimentos da Arquidiocese oferecem ceia natalina aos pobres, Jornal O São Paulo
Luciney Martins/O SÃO PAULO

FRUTOS

No ano passado, devido às restrições da fase crítica da pandemia, não pôde ser realizada a ceia na Praça da Sé. Os voluntários, contudo, distribuíram refeições à população da região conhecida como Cracolândia.

Padre Rodrigo Custódio Andrade Ramos, presidente da Aliança de Misericórdia, explicou ao O SÃO PAULO que, da edição passada do Natal dos Pobres, nasceu uma iniciativa permanente. Todo primeiro domingo do mês há um dia de evangelização e atendimento à população dessa região. Em cada um desses eventos, uma média de 25 pessoas deixa as ruas, sendo encaminhadas para casas de recuperação de uma das organizações católicas que participam do projeto.

“Nesta semana, o governo do Estado assinou um convênio com a Fazenda da Esperança para disponibilização de 200 vagas sociais para pessoas em situação de rua da Cracolândia. Isso foi possível graças ao trabalho missionário realizado todos os meses”, afirmou o Sacerdote.

Ao abençoar a ceia e os convidados do Natal dos Pobres 2021, o Cardeal Scherer enfatizou que Deus ama os pobres e, por isso quer estar junto deles. “Tudo isso foi preparado com muito carinho porque vocês merecem. Que neste Natal, vocês não se esqueçam de que são muito importantes diante de Deus, que os ama muito”, completou o Arcebispo.

Deixe um comentário