Peças no jardim são a novidade da exposição de presépios do Museu de Arte Sacra de São Paulo

Peças no jardim são a novidade da exposição de presépios do Museu de Arte Sacra de São Paulo, Jornal O São Paulo
Iran Monteiro/Museu de Arte Sacra de São Paulo

A tradicional exposição de presépios do Museu de Arte Sacra de São Paulo (MAS/SP) já está aberta e poderá ser visitada até 8 de janeiro de 2023. Este ano, porém, em vez de ocupar uma única sala, a exposição está no espaço da mostra de longa duração do Museu e também, no jardim, onde foi montado um presépio de tamanho natural, com peças feitas de alumínio e tecido, de autoria dos artistas plásticos Icaro Hueza e Vagner Rodrigues.

Com o tema Tradicionais, Modernos e Contemporâneos – Presépios MAS 2022”, a mostra é composta por dez conjuntos do acervo do Museu de origens distintas, criados em técnicas diversificadas e em diferentes períodos, que vão do século XVII ao XXI. 

“Temos, por exemplo, um presépio equatoriano do século XVII, três portugueses do século XVIII, um presépio francês do século XX e um brasileiro produzido em Sorocaba (SP), um presépio caixa, feito de madeira, tecido, papel e barro cozido, que é uma Sagrada Família do século XIX”, contou ao O SÃO PAULO João Rossi, conservador e restaurador do MAS. 

A mostra

Os presépios foram colocados no Museu de acordo com o contexto da época, seguindo a cronologia do acervo.  

“Temos um corredor com obras do século XVII. No final dele, há um presépio que é a transição do século XVII para o XVIII. No século XVIII, a mesma coisa”, exemplificou Rossi, frisando que as obras dentro do MAS são criações datadas até o século XX. 

Peças no jardim são a novidade da exposição de presépios do Museu de Arte Sacra de São Paulo, Jornal O São Paulo

O século XXI é representado pelo presépio exposto no jardim do MAS, formado pela junção de peças criadas por Vagner Rodrigues, tramadas em alumínio, que inserem a contemporaneidade ao ambiente histórico, e os itens elaborados por Icaro Hueza que se destacam por sua representação fiel e com ricos detalhes das imagens tradicionais. 

“Os três magos (feitos por Hueza) têm uma inspiração mais tradicional, que vem dos presépios napolitanos, as questões da vestimenta e dos acabamentos”, comentou Rossi. “Já a Sagrada Família, os animais e alguns anjos (feitos por Rodrigues) têm uma interpretação bem mais contemporânea, um presépio aramado, em alumínio, anunciando o nascimento de Cristo.” 

Uma cúpula multicolorida que acaba representando a estrebaria em que Cristo nasceu “reforça a pegada contemporânea desse presépio” e permite maior interação do público. 

Destaques

A mostra conta ainda com um Presépio Napolitano composto por 1,6 mil peças italianas do século XVIII, e que fica exposto de modo permanente, ocupando 110 metros quadrados de uma sala do MAS. 

Além da tradicional cena da natividade de Jesus de Nazaré, as peças desse enorme presépio representam diversos profissionais urbanos (como ferreiro, sapateiro, barbeiro, verdureiro, entre outros), pastores, homens do campo, além de objetos, utensílios e móveis. 

Identidade visual

Rossi comentou sobre os dois códigos que foram utilizados na montagem da exposição para marcar e destacar os presépios. “Utilizamos vermelho com dourado nas bases, e, em cada presépio montado, temos um anjo sobre ele, indicando e anunciando o nascimento de Cristo.”

Peças no jardim são a novidade da exposição de presépios do Museu de Arte Sacra de São Paulo, Jornal O São Paulo

Ele também pontuou que a escolha do vermelho se deu por ser uma cor muito utilizada no Natal, bem como na Paixão de Cristo. “Optamos por manter as marcações nos corredores em vermelho para que as pessoas consigam identificar, mesmo quem não tem familiaridade nenhuma com Arte Sacra ou com presépio.”

Visitação 

Segundo Rossi, a rota comum para contemplar a exposição do Museu é visitar os presépios que estão espalhados pelo acervo e na sequência ir ao Napolitano permanente. 

Peças no jardim são a novidade da exposição de presépios do Museu de Arte Sacra de São Paulo, Jornal O São Paulo

“Assim, a visita se encerra da melhor forma possível, que é vendo esse tradicional presépio que é mágico, pois tem uma bela interpretação e retrata o Divino de uma das melhores formas possíveis”, concluiu.

Serviço

O Museu de Arte Sacra de São Paulo está localizado na Avenida Tiradentes, 676, bairro da Luz, próximo à estação Tiradentes do Metrô (Linha 1 Azul). Aberto de terça a domingo das 9h às 17h (com acesso permitido até às 16h30). 

O ingresso custa R$ 6,00, estudante paga meia (R$ 3,00), e aos sábados a visita é gratuita. Mais informações pelo site: http://museuartesacra.org.br.

Deixe um comentário