Os ideais de Dom Paulo se perpetuam no legado de suas obras literárias

Publicações do ‘Cardeal da Esperança’ mostram como ele foi um árduo defensor da vida e da dignidade humana a inspirar as novas gerações

A disposição e o compromisso de Dom Paulo Evaristo Arns com a defesa da vida, em todos os âmbitos e sentidos, não se limitaram ao resultado das ações concretas em que esteve pessoalmente envolvido, mas se estenderam por um legado de obras – edificado desde a sua juventude, entre livros, prefácios, artigos, publicações e traduções – equivalente a um verdadeiro patrimônio literário.

Nutrido desde a infância com os valores humanistas, familiarizado com as palavras e entusiasta das Letras, encontrou nas instituições de ensino superior parisienses – entre elas a Sorbonne, na qual defendeu sua tese de doutoramento –, o cenário adequado para dar continuidade, de maneira mais consistente, à sua produção textual.

Talento lapidado

Embora o gosto pela escrita tivesse aflorado desde muito cedo, foi no ambiente acadêmico que encontrou solidez definitiva, mediante um trajeto que o conduziria à realização autoral. Assim, num universo em que teologia, línguas e literatura dialogavam harmoniosamente, uma curiosidade específica despertou a atenção daquele jovem sacerdote: a maneira com que os cristãos da Igreja primitiva se dedicavam às palavras escritas e como registravam as experiências que viviam. O que o levou a se interessar e enveredar por esse caminho é explicado por suas próprias palavras.

“No dia de minha profissão religiosa, estava iniciando os 20 anos de vida e me perguntava como faz todo mundo: ‘Que será do meu futuro?’”, escreve Dom Paulo. “Nesse momento, me entregaram a carta de meu irmão padre, que dizia: ‘Dedique-se à literatura cristã dos primeiros séculos, porque você gosta de latim e grego, e o Brasil precisa de informações sobre esta era tão rica e tão desconhecida’”.

Primeira obra de muitas

Este foi o impulso que o conduziu, tempos depois, a elaborar a obra “A técnica do livro segundo São Jerônimo”, tema abordado em sua tese doutoral, que se transformou em seu primeiro livro oficial, lançado originalmente em francês, ainda em meados dos anos 1950, e traduzido posteriormente para outras línguas, como o português e o italiano.

Nesta obra, ele esmiúça e perpassa todo o processo de composição da escrita, incluindo as variadas etapas de edição e divulgação, ainda nos primeiros séculos, daqueles escritos que deram origem aos textos bíblicos canonicamente reconhecidos.

Desde então, ao longo de uma vida marcada por gestos de solidariedade e empenho aos mais vulneráveis, e defesa dos direitos humanos, o “Cardeal da Esperança” escreveu, ao todo, 57 livros, bem como prefaciou outros tantos.

Amplo leque

Embora seu portfólio abranja uma ampla pluralidade de temas que vão desde questões de educação e ensino, Matrimônio, fraternidade, participação dos leigos na Igreja, até oração, evangelização, sacramentos, crianças, jovens, mulheres, família, vida religiosa e devoções, entre outros, foi seu livro autobiográfico “D. Paulo Evaristo Arns – Da Esperança à Utopia” que alcançou grande repercussão por trazer detalhes de sua atuação pastoral como Arcebispo da maior arquidiocese do País.

Período delicado

Por tratar do delicado tema da sal- vaguarda dos direitos humanos, grande destaque também obteve o livro “Brasil Nunca Mais”, lançado em 1985.

“As angústias e esperanças do povo devem ser compartilhadas pela Igreja. Confiamos que esse livro, composto por especialistas, nos confirme em nossa crença no futuro”. Com estas palavras, Dom Paulo Evaristo inicia o prefácio da obra, um excerto de um grande projeto capitaneado por ele, em parceria com o pastor presbiteriano Jaime Wright e pelo rabino Henry Sobel.

A obra foi a solução encontrada para proporcionar a divulgação de um extenso trabalho documentacional dos crimes ocorridos durante o regime militar brasileiro (1964-1985).

Por meio da pesquisa realizada, que contou com a colaboração de 30 especialistas, reuniu-se informações extraídas de mais de 1 milhão de páginas, provenientes de mais de 700 processos do Superior Tribunal Militar, o que permitiu conhecer a extensão da repressão política no País entre 1961 e 1979.

O então Arcebispo de São Paulo classificou a tortura como desumana. “É o meio mais inadequado para nos levar a descobrir a verdade e chegar à paz”, menciona em outro trecho do texto que prefaciou a obra.

Ainda segundo afirmou em uma entrevista à época do lançamento do livro, o propósito da publicação era ser um “registro histórico e objetivo, sem qualquer ânimo revanchista”.

VEJA A LISTA DE LIVROS PUBLICADOS POR DOM PAULO

·       La technique du livre d’après Saint Jérome (tese doutoral da Sorbonne), Ed. de Boccard, Paris, 1953; : traduzido para o português sob o título “A Técnica do Livro segundo São Jerônimo”, Imago Editora, Rio de Janeiro, 1993: traduzido para o italiano sob o título “La tecnica del libro secondo San Gerolamo”, Edizioni Biblioteca Francescana, Milão, Itália, 2005. Versão portuguesa reeditada em edição artística e ilustrada pela Editora Cosac-Naify, São Paulo, setembro/2007.
·       Liberdade de Ensino, Ed. Vozes, Petrópolis, 1960
·       Por que escolas Católicas? Ed. Vozes, Petrópolis, 1963
·       Rumo ao casamento, Ed. Vozes, Petrópolis, 1963
·       A quem iremos, Senhor? Ed. Paulinas, São Paulo, 1968
·       A humanidade caminha para a fraternidade, Ed. Paulinas, São Paulo, 1968
·       Paulo VI: você é a favor ou contra? Ed. Paulinas, São Paulo, 1970
·       Cartas de Santo Inácio de Antioquia. Introdução, tradução e notas, Ed. Vozes, Petrópolis, 1970
·       A guerra acabará, se você quiser, Ed. Paulinas, São Paulo, 1970
·       Carta de São Clemente Romano. Introdução, tradução e notas, Ed. Vozes, Petrópolis, 1971
·       De esperança em esperança, na sociedade, hoje, Ed. Paulinas, São Paulo, 1971
·       Os Sacramentos e os Mistérios, de Santo Ambrósio, Introdução e tradução do original latino, Ed. Vozes, Petrópolis, 1972
·       Comunidade: união e ação, Ed. Paulinas, São Paulo, 1972
·       Viver é participar, Ed. Paulinas, São Paulo, 1973
·       Cristãos em plena vida, Ed. Loyola, São Paulo 1974
·       Você é chamado a evangelizar, Ed. Loyola, São Paulo, 1974
·       Nova forma de consagração da mulher, Ed. Paulinas, são Paulo, 1974; : revisto e atualizado com novo título e editora: “Consagração da mulher para tempos novos”, Paulus, 2003.
·       O evangelho: incomoda? inquieta? interessa? Sínodo da Evangelização, Ed. Loyola, São Paulo, 1975
·       A família constrói o mundo? Ed. Loyola, São Paulo, 1975
·       Cidade, abre as tuas portas! Ed. Loyola, São Paulo, 1976
·       Qual é a sua vocação? Ed. Paulinas, São Paulo, 1976
·       Sê Fiel! Ed. Loyola, São Paulo, 1977
·       Em defesa dos direitos humanos. Encontro com o repórter, Ed. Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 1978
·       Convite para rezar, Ed. Paulinas, São Paulo, 1978
·       Presença e força do cristão, Ed. Loyola, São Paulo, 1978
·       Em favor do homem, Ed. Avenir, Rio de Janeiro, 1979
·       Religiosas recomeçam sempre, Ed. do Autor, São Paulo, 1979
·       Discutindo o papel da Igreja, Ed. Loyola, São Paulo, 1980
·       Mulher Consagrada: identidade e relacionamento, Ed. Paulinas, São Paulo, 1980
·       Os ministérios na Igreja, Ed. Salesiana Dom Bosco, São Paulo, 1980
·       O que é Igreja, Ed. Brasiliense, São Paulo, 1981
·       Meditações para o dia-a-dia, vol.1, Ed. Paulinas, São Paulo, 1982
·       Meditações para o dia-a-dia, vol.2, Ed. Paulinas, São Paulo, 1982
·       Pensamentos, Ed. Paulinas, São Paulo, 1982
·       Olhando o mundo como São Francisco, Ed. Loyola, São Paulo, 1982
·       Meditações para o dia-a-dia, vol.3, Ed. Paulinas, São Paulo, 1982
·       A violência em nossos dias, Ed. Salesiana Dom Bosco, São Paulo, 1983
·       Meditações para o dia-a-dia, vol.4, Ed. Paulinas, São Paulo, 1983
·       Para ser jovem hoje, Ed. Salesiana Dom Bosco, São Paulo, 1984
·       Santos e heróis do povo, Ed. Paulinas, São Paulo, 1985; Ed. Letras & Letras, São Paulo, 1996
·       O evangelho de Marcos na vida do novo, Ed. Paulinas, São Paulo, 1987. Ed. Paulus, São Paulo, 1997
·       I poveri e la pace prima di tutto, Ed. Borla, Roma, Itália, 1987
·       Criança, prioridade absoluta, Ed. Loyola, São Paulo, 1987
·       O rosário na Bíblia e na vida do povo, Ed. Vozes, Petrópolis, 1987
·       Von Hoffnung zu Hoffnung. Vortragre, Gesprache, Dokumente, Patmos Verlag, Dusseldorf, Alemanha, 1988
·       Clamor do povo pela paz, Ed. Paulinas, São Paulo, 1989
·       Mulher: quem és? Que procuras? Ed. Santuário, Aparecida, 1990
·       Evangelizar pelo coração, Ed. Loyola, São Paulo, 1991
·       Da esperança à utopia – Testemunho de uma vida (livro autobiográfico), Editora Sextante, Rio de Janeiro, 2001.
·       Corintiano, Graças a Deus! – Editoria Planeta do Brasil, São Paulo,2004.
·       Conversa com São Francisco, Paulinas, São Paulo, 2004.
·       Mulheres da Bíblia, Paulinas, 2004.
·       Dez caminhos para a perfeita alegria, Editora Santuário , 2005.
·       Um padre em sete morros abençoados, Editora Santuário, Aparecida, 2005.
·       Estrelas na noite escura – Pensamentos , Paulinas, 2006.
·       O Rosário na Bíblia e na vida do povo (edição revista e atualizada), Editora Ave-Maria, São Paulo, 2006.
·       Vamos a Aparecida – Com Maria, pela paz, Editora Santuário -2007.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter