Aldeias temáticas da ‘Economia de Francisco’: laboratórios de esperança

O segundo dia do encontro internacional que reúne jovens economistas e empreendedores em Assis, na Itália, foi marcado, na sexta-feira, 23, pela partilha de interesses comuns no caminho para uma economia mais justa, solidária e inclusiva.

Aldeias temáticas da ‘Economia de Francisco’: laboratórios de esperança, Jornal O São Paulo
Trabalho de uma das aldeias temáticas (foto: Vatican Media)

Enquanto se preparam para o visita pastoral do Papa Francisco, no sábado, 24, os jovens fizeram no segundo dia um itinerário pelos sítios franciscanos. Pela manhã, a proposta foi o “Cara a cara com Francisco – Passeios nos passos de Francisco”, que os levou a uma atmosfera histórico-pastoral na Basílica de Santa Maria de Los Angeles. Depois, eles foram levados a diferentes locais, como o edifício comunitário, o Instituto Seráfico de Assis, o Centro Pastoral Santa Maria de Los Angeles entre outros, em que, envoltos em mesas, cartolinas e cores, ocorreram as chamadas aldeias temáticas, a respeito de temas econômicos e foram aprofundadas soluções perante os desafios do modelo econômico atual.

As aldeias temáticas trataram sobre “Gestão e doação”; “Finanças e humanidade”; “Agricultura e justiça”; “Energia e pobreza”; “Vocação e lucro”; “Políticas para a felicidade”; “CO2 da desigualdade”; “Negócios e paz”; “Economia é mulher”; “Empresas em transição”; e “Vida e estilos de vida”.

Os temas, inspirados nas encíclicas do Papa Francisco Laudato si' e Fratelli tutti, percorrem várias questões incluindo agricultura e justiça, energia e pobreza.

Em entrevista ao Vatican News, a jovem guatemalteca Lourdes Hércules explicou que as aldeias conseguiram colocar em diálogo temas que pareciam estar em conflito: “O que as aldeias buscam é, justamente, gerar diálogo para poder desenvolver muitas iniciativas a favor da sociedade”. 

A moçambicana Sadia Mariano, única representante dos jovens desse país africano que, disse ao Vatican News sobre a esperança que permeia o evento: “nós somos apaixonados pelos ideais de Francisco e queremos que exista muita esperança para a economia de Moçambique, para os jovens moçambicanos. Esperança é a palavra que enche o meu coração por estar aqui”.

O jovem economista Sohan Patricik, do Sri Lanka, também expressou seu entusiasmo nas reflexões sobre como implementar uma nova forma de economia para melhorar o mundo para toda a humanidade, uma mudança de perspectiva que passa a mudar o modelo econômico baseado na exploração da terra e na maximização da riqueza. “E essa nova economia que eu pretendo ajudar a construir no Sri Lanka quando eu voltar para casa”, afirmou

(Com informações do Vatican News em Português, Inglês e Espanhol)

Deixe um comentário