Diante da criação canônica da Conferência Eclesial da Amazônia, Celam reafirma compromisso de caminhar juntos

Reprodução da internet

“Com alegria e esperança” o Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) celebra que “o Papa Francisco erigiu canonicamente a Conferência Eclesial da Amazônia (Ceama) como pessoa jurídica pública eclesiástica”, informa o Cardeal Marc Ouellet, Prefeito da Congregação para os Bispos, em carta enviada ao presidente do Ceama, o Cardeal brasileiro Cláudio Hummes, no dia 11.

“Por decisão do Santo Padre, nós nos enchemos de alegria no momento em que a Igreja latino-americana e caribenha enfatiza sua opção pela sinodalidade, colegialidade, conversação integral, voz profética, perspectiva integrativa, articulando e integrando redes, promovendo a descentralização e acolhimento do Magistério do Papa Francisco”, disse uma mensagem divulgada pelo Celam no domingo, 17, coincidindo com a abertura do processo sinodal em todas as dioceses do mundo. É importante destacar que “esses princípios são norteados pelo processo de reforma e reestruturação do Celam, que inclui o Ceama em sua estrutura organizacional”.

Novas estradas para a Amazônia

No comunicado, assassinado por Dom Miguel Cabrejos Vidarte, Presidente do Celam, e Dom Jorge Eduardo Lozano, Secretário-Geral, o órgão episcopal expressa a sua  gratidão ao Papa Francisco “pela orientação, proximidade e apoio no início dos novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral na Amazônia”, que também é “o resultado do processo desencadeado pelo Sínodo para a Pan-Amazônia, com uma participação significativa do Santo Povo de Deus desta região”.

Embora se espere a continuidade da revisão e aprovação de dois estatutos do Ceama e que o decreto de sua ereção canônica seja logo divulgado pelas instituições correspondentes, o Celam reafirmou seu desejo de apoiar as iniciativas da Igreja na Pan-Amazônia, ao mesmo tempo em que assegurou a sua “vontade de continuar caminhando juntos, como discípulos missionários, para que tenhamos vida em Jesus Cristo”.

Deixe um comentário