Em assembleia, Celam definirá readequações de suas próprias estruturas

Conselho Episcopal Latino-Americano estará reunido virtualmente até sexta-feira, dia 21

Foto: Reprodução de vídeo do Celam

Teve início na terça-feira, 18, a 38a Assembleia Geral Ordinária do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam), realizada remotamente, em razão da atual pandemia de COVID-19.

Participaram a abertura 85 pessoas, entre membros da presidência do Celam, representantes da Santa Sé, presidentes das Conferências Episcopais da América Latina e do Caribe, delegados dos episcopados, bispos assessores, representantes de agências de cooperação, conferencistas e convidados especiais.

A 38a Assembleia Geral do Celam busca apresentar o processo de renovação e reestruturação do órgão, tarefa confiada à atual Presidência desde sua eleição em Tegucigalpa, em maio de 2019. Isso tem sido desenvolvido com o apoio de um grupo de bispos assessores.

LEIA TAMBÉM
Cardeal Scherer: Celam faz assembleia

Em comunhão eclesial

Na abertura das atividades, Dom Miguel Cabrejos Vidarte, Presidente do Conselho Episcopal Latino-americano, Dom Miguel Cabrejos Vidarte, ressaltou que o Celam deve sempre ser um “centro propulsor da consciência missionária, da conversão pastoral permanente, como Igreja em saída e sinodal, caminhando eclesialmente com o Povo de Deus e com as conferências episcopais”.

O Prelado explicou, também, que o órgão enquadrou o processo de renovação e reestruturação na teologia do “Concílio Vaticano II, da V Conferência Geral do Episcopado Latino-americano de Aparecida e do Magistério do Papa Francisco”, que se baseia nos quatro princípios proféticos sonhos da exortação pós-sinodal Querida Amazônia.

Em seguida, a Secretária Geral da Confederação Latino-americana e Caribenha de Religiosos (CLAR), Irmã Daniela Canavina, conduziu um espaço de contemplação, a partir da oração da Assembleia Eclesial da América Latina e Caribe.

Houve ainda a exibição de uma mensagem do Núncio Apostólico na Colômbia, Dom Luis Mariano Montemayor, que expressou sua proximidade aos membros da Assembleia, exortando-os a se deixarem guiar pelo Espírito Santo na tarefa de discernir adequadamente face à missão de renovar as estruturas do Celam.

Também o Prefeito da Congregação para os Bispos e Presidente da Pontifícia Comissão para a América Latina, Cardeal Marc Ouellet, expressou sua confiança de que “os frutos desta assembleia eclesial, depois de um tempo de escuta e reflexão, sejam um sinal de uma Igreja em contínua conversão pastoral e missionária que cresce na experiência e na transmissão da fé, da esperança e da caridade”; tendo em conta que a mudança de estruturas é fruto do carácter missionário e é esta experiência que motiva a transformação de estruturas antigas em novas. Do contrário, falar-se-ia apenas em um estudo organizacional, uma análise funcional que marginaliza os frutos da missão paradigmática.

Outra a falar foi o presidente da Conferência Episcopal de Porto Rico, Dom Rubén González, que encorajou os participantes a desenvolver seu trabalho pensando nas comunidades de cada um dos países e em suas necessidades pastorais.

Um processo contínuo

Os trabalhos de reflexão da Assembleia foram iniciados com a retomada das etapas realizadas no processo de renovação e reestruturação do Celam.

Depois, a doutora Agustín Salvia tratou sobre a questão social da América Latina e Caribe no contexto de COVID-19, enquanto o escritor Austen Ivereigh focou sua reflexão em uma visão contemplativa da realidade a partir das prioridades pastorais de Celam à luz de Aparecida.

Austen Ivereigh destacou que “a tentativa de criar uma Igreja sinodal foi a contribuição mais importante do pontificado de Francisco”, reconhecendo a clareza e a audácia das propostas “preparadas para especificar o processo de renovação e reestruturação de Celam”.

Por fim, o Padre Carlos María Galli, coordenador da Equipe de Reflexão Teológico-Pastoral, abordou os fundamentos teológicos, eclesiológicos e pastorais do processo de renovação e reestruturação do Celam.

Ele tratou das dimensões da conversão pastoral, identidade da Igreja e colegialidade sinodal, destacando que “a novidade faz renovação, abrir-nos à novidade de Deus é colaborar na renovação do Celam e de todas as nossas comunidades eclesiais e instituições pastorais”.

Fonte: Celam

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter