Ucrânia propõe adotar neutralidade, e Rússia diz que vai ‘reduzir radicalmente’ ataques a Kiev

Ucrânia propõe adotar neutralidade, e Rússia diz que vai 'reduzir radicalmente' ataques a Kiev
Uma mãe espera com sua família antes de embarcar em um trem de Lviv, no oeste da Ucrânia, para a Polônia. Eles fugiram de sua casa em Kharkiv, depois que a eletricidade e a água foram cortadas. (Valério Muscella /ACNUR)

As tropas russas vão recuar e reduzir ataques às cidades ucranianas no norte do país, segundo anunciou na terça-feira, 29, o vice-ministro da Defesa russo, Alexander Fomin.

“No sentido de fortalecer a confiança mútua e criar condições necessárias para negociações futuras e alcançar o objetivo final de assinar um acordo, tomamos a decisão de reduzir radicalmente e por uma ampla margem as atividades militares nas direções de Kiev e Chernihiv”, declarou Fomin. Por sua vez, os negociadores ucranianos afirmaram que “as conversas que acontecem agora focam questões garantias internacionais de segurança para a Ucrânia e a segunda é o cessar-fogo para que possamos resolver problemas humanitários que se acumularam no país”, disse o conselheiro político do governo da Ucrânia Mykhailo Podolyak. “Com esse acordo seremos capazes de dar um fim à guerra”.

TENTATIVAS DE ACORDO

Reunidas em Istambul, na Turquia, as delegações dos dois países debateram os principais pontos impostos pelos ucranianos: garantias de segurança e a organização de um cessar-fogo por questões humanitárias.

No encontro, a Ucrânia propôs adotar a neutralidade, segundo informaram membros da delegação na saída da reunião. O status neutro significa que o país não pode fazer parte de alianças militares, como a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), nem hospedar bases militares em seu território.

Em troca, Kiev pediu garantias de segurança, disseram negociadores ucranianos.

O negociador russo, Vladimir Medinsky, reforçou que essa redução nos ataques não implicará um cessar-fogo. Mesmo assim, espera que os envolvidos cheguem a um acordo e possam produzir uma declaração conjunta em breve.

Deixe um comentário